Polícia tem nova linha de investigação para assassinato de filha de PM em Teófilo Otoni

0
Anglo Queimadas

Reviravolta nas investigações da morte da jovem Walkelle Damascena Souza, de 23 anos de idade (completaria 24 em junho), assassinada a tiros no início da noite de sexta-feira (30). Segundo novas informações levantadas pela Polícia Militar, ela não foi vitimada diretamente pelo ex-namorado. Agora ele é suspeito de ter encomendado o crime.

Imagens colhidas de câmeras de vigilância instaladas em casas próximas ao local do crime, Rua Antônio Onofre (Rua do Mate Cola), revelam que dois indivíduos abordaram a vítima quando esta estacionava a moto Honda Bizz para abrir o portão da casa onde morava. O garupa da motocicleta (possivelmente uma YBR preta, de acordo testemunhas) sacou o revólver e disparou quatro vezes. Dois tiros acertaram Walkelle no antebraço esquerdo e lado esquerdo do peito. Os outros disparos atingiram o portão da residência. A PM encontrou no local uma cápsula deflagrada calibre 38.

A jovem foi resgatada por populares, mas chegou sem vida ao hospital Philadelfia. Já os criminosos teriam fugido sentido o bairro Marajoara.

Crime encomendado

Ainda de acordo novos levantamentos da polícia, o suposto mandante do crime, I.R.F., fugiu para Belo Horizonte. Há suspeitas de que os autores do homicídio residam no bairro Novo Horizonte. Porém esta informação não foi confirmada oficialmente pela PM, para evitar o vazamento de informações.

O ex-namorado de Damascena possuía sete registros na polícia por ameaças contra a garota, algumas delas de morte. Ele não aceitava o fim do relacionamento. Entre os alvos de I.R.F. estaria ainda a mãe de Walkelle, que aconselhava a filha a não namorar o rapaz. A jovem era filha de um sargento da Polícia Militar, lotado no Colégio Tiradentes.

A comunidade policial de Teófilo Otoni se sensibilizou com a causa, principalmente porque o pai da moça é um homem pacato e de personalidade simples. Uma grande operação foi montada na noite da sexta a fim de encontrar e prender os responsáveis. A casa do ex-namorado, situada no bairro Jardim Iracema, chegou a ser cercada, mas nenhum suspeito foi encontrado.

Walkelle Damascena Souza era formada em Direito e havia passado no concurso para agente penitenciário. Ela foi assassinada minutos após deixar o curso de formação, realizado no campus das Faculdades Doctum. Atualmente trabalhava na Superintendência Regional de Saúde.

O velório foi realizado neste sábado (31), mesma data do enterro.

(A vítima era formada em Direito e havia passado no concurso para agente penitenciário)

(Fonte: Diário de Teófilo Otoni)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui