Homem mais procurado em Minas Gerais movimentava R$ 9 milhões mensais com o tráfico

0
Anglo Queimadas

O uso de identidades falsas dificultava o trabalho dos policiais. A prisão de um dos criminosos ocorreu em Goiás e a do outro, na cidade de São João Del Rei.

Três anos de trabalho investigativo, realizados pela Polícia Civil de Minas Gerais, por meio da equipe de policiais do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), possibilitaram a prisão de um dos criminosos mais procurados do Estado, nesta semana. O foragido Neuber Júlio de Souza (o Alemão), de 39 anos, foi preso em um aeroporto de Goiânia, com apoio da Polícia Civil de Goiás, quando retornava de Cacoal, Rondônia. A cidade faz parte da rota do tráfico internacional de drogas.

Monitorado pela Polícia Civil, Neuber foi localizado em Goiás – Foto: Polícia Civil/Divulgação

Contra Neuber haviam três mandados de prisão expedidos pela Justiça, por homicídios cometidos em Betim, Contagem e Ibirité, além de um mandado devido à associação para o tráfico de drogas. Ele morava, desde 2013, na cidade de Inhumas, Região Metropolitana de Goiás. Ainda durante ação policial, a equipe do DHPP prendeu, em São João Del Rei, no Campo das Vertentes, em Minas Gerais, Milton Júnior de Souza, de 43 anos, irmão de Neuber. Contra ele haviam dois mandados de prisão, sendo um resultante de uma condenação de 14 anos, por um assassinato cometido em 2003.

Os dois irmãos foram presos na última segunda-feira (13), durante a ação conjunta das polícias civis de Minas Gerais e de Goiás. Ambos viviam com identidades falsas, o que dificultou o trabalho de localização. Segundo o delegado Antônio Harley, que conduziu as investigações, levantamentos do serviço de inteligência da Polícia Civil de Goiás apontam que Neuber integrava a “Turma da Marreta”, grupo criminoso especializado em roubo de banco e carro forte no Estado. Ele era, inclusive, o único suspeito que ainda não havia sido preso.

Participaram das investigações a equipe da Delegacia Especializada em Homicídios do Barreiro, com o delegado Antônio Harley, a escrivã Letícia Duarte, os subinspetores Jorge Moreira e Flávio José Merenciano, e os investigadores Reinaldo Silva, Lídia Oliveira, Marcos Antônio Teixeira e Jonatas Moura. A prisão ainda teve o apoio de outros sete investigadores da mesma delegacia.

Tráfico de drogas

De acordo com as investigações, Neuber viajava para o Paraguai a cada três meses, onde negociava a compra de grande quantidade de drogas. A Polícia acredita que o montante chegasse a 30 quilos de pasta base de cocaína e meia tonelada de maconha, por remessa. A droga era transportada por pessoas contratadas por ele e entregue a Milton, em Ibirité, que gerenciava a venda do produto em 12 bairros de Belo Horizonte, Contagem e Ibirité. A estimativa é de que o faturamento com a comercialização dessa droga girasse em torno de R$ 9 milhões, por mês.

Lavagem de dinheiro

O DHPP prossegue nas investigações para apurar também o crime de lavagem de dinheiro, em virtude da descoberta de vasto patrimônio e complexa estrutura criminosa com participação dos dois irmãos. Uma das táticas utilizadas pelos suspeitos para a prática do crime seria a compra e venda de imóveis. A polícia também irá investigar o uso de ‘laranjas’ e a criação de uma empresa de fachada pelos irmãos.

(Fonte: Polícia Civil de Minas Gerais)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui