Mãe de bebê morta acusa hospital de negligência em Montes Claros

0

A mãe de uma bebê que morreu na última sexta-feira (27/04/2018), na Santa Casa de Montes Claros, alega negligência da unidade na demora para a realização do parto dela. No boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar nesse domingo (29), consta que Rosilda Pereira Porto, de 26 anos, deu entrada no hospital às 1h da madrugada do dia 27, já em trabalho de parto, mas que o procedimento só foi efetuado cerca de 22 horas depois, por volta das 23h23 no mesmo dia.

A mãe afirma que ao chegar na unidade apresentou os ultrassons que comprovavam que o nascimento não poderia ser normal. Os documentos teriam sido assinados pelo médico que atendia em Grão Mogol, cidade de origem da paciente.

“Levei todos os exames pedidos pelo médico da minha cidade. Mas ninguém quis ver. Eu disse que minha outra gestação também tinha sido assim; não tinha dilatação. Mas, os médicos quiseram esperar, não verificaram a situação. Minha sorte foi o estagiário que resolveu sentir os batimentos da bebê, aí percebeu que o coração não estava mais batendo. Depois disso que os médicos induziram o parto”, diz.

Ainda de acordo com Rosilda, a gestação estava em 41 semanas, mas que o tamanho do bebê impedia o procedimento normal. “Ela nasceu com 3,4 kg e 52 cm, não tinha ‘passagem’”, completa.

O que diz a Santa Casa?

Em nota, a Santa Casa de Montes Claros informou que foi aberta uma sindicância para apurar os fatos citados e se manifestará após o término da apuração.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: G1 Grande Minas)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.