Homem preso no Espírito Santo confessa ter matado professor de Governador Valadares

1
Anglo Queimadas

A Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, por meio da 1ª Delegacia Regional de Governador Valadares e Delegacia de Pessoas Desaparecidas, após cinco meses de investigação, desvendou o desaparecimento do professor Nelcino Rodrigues Valentim, de 50 anos.

O educador estava desaparecido desde o dia 29/12/15, sendo visto pela última vez na madrugada do dia 30/12/15, por volta das 1h, no interior de uma lanchonete da Avenida Brasil, na cidade do Leste de Minas.

Por essa razão, foi instaurado inquérito policial onde foram realizadas diversas diligências, destacando-se as medidas cautelares de interceptação telefônica, afastamento de sigilo de dados e divulgação de imagens do desaparecido em outros Estados da Federação.

No dia 14/05/16, o veículo pertencente à Nelcino foi encontrado pela Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) em poder de Jucimarcos Camilo, às margens da rodovia sem combustível, próximo à Nova Venécia/ES, fato este que ensejou a lavratura de Auto de Prisão em Flagrante Delito (APFD) pelo crime de receptação.

Jucimarcos Camilo confessou o crime (Foto: Divulgação / 1ª DRPC)

Após a prisão, foi realizada troca de informações entre as Polícias Civis e Militares dos respectivos Estados, o que ensejou a representação por prisão temporária de Jucimarcos como principal suspeito do desaparecimento de Nelcino.

Jucimarcos foi encaminhado à 1ª DRPC de Governador Valadares, onde foi interrogado, tendo confessado espontaneamente todas as etapas do assassinato e ocultação do corpo do professor.

Segundo versão do investigado, na madrugada do dia 30/12/15, Nelcino havia lhe abordado em via pública, oportunidade em que se prontificou a levá-lo até sua residência. Em seguida, já no interior do veículo, Nelcino teria tentado fazer carícias em Jucimarcos, bem como convidado para ir até um motel.

Por esse motivo, Jucimarcos e Nelcino travaram luta corporal por alguns minutos no interior do automóvel, tendo o investigado lhe agredido com diversos socos na cabeça, nuca e pescoço, vindo à vítima a desfalecer.

Ato contínuo, Jucimarcos apoderou-se do veículo e seguiu em direção à Nova Venécia, tendo ocultado o corpo de Nelcino em um local ermo, conhecido por “antigo lixão” na referida cidade, bem como subtraído o veículo da vítima.

O corpo de Nelcino foi encontrado pela testemunha R.A, no dia 31/12/15, encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde permaneceu sem identificação e enterrado posteriormente como indigente no dia 08/04/16, no cemitério Planalto, em Linhares.

A Polícia Civil do Espírito Santo também havia instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do encontro do cadáver, mas as investigações ficarão por conta da Polícia Civil de Minas Gerais, face o local de consumação do homicídio.

As investigações prosseguem no sentido de elucidar o evento delituoso de forma integral, não descartando a possibilidade de participação de terceiros, seja na condição de partícipe, coautor e/ou mandante.

Nas próximas horas haverá apresentação de representação de prisão temporária, pelo prazo de 30 (trinta) dias, pelo presidente das investigações, Dr. Fábio Guilherme Barreto Sfalcin, titular da Delegacia de Homicídios e Pessoas Desaparecidas, tendo em vista a prova cabal do crime, materialidade delitiva e se tratar de crime hediondo.

A Polícia Civil de Minas Gerais agradece e enaltece o apoio e interlocução entre as Polícias Civil e Militar do Estado do Espírito Santo e Mineira, no sentido de contribuir para solução desse lamentável crime.

Jucimarcos Camilo confessou o crime (Foto: Divulgação / 1ª DRPC)

Delegados responsáveis pelo caso (Foto: Divulgação / 1ª DRPC)

Veículo foi apreendido no Espírito Santo (Foto: Reprodução)

(Fonte: 1ª DRPC)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui