Atingidos pelo Projeto Vale do Rio Pardo protestam em defesa das águas e contra o Mineroduto

0
Anglo Queimadas

Na manhã dessa segunda (02), acontece em Salinas, no Centro de Convenções, um ato público com cerca de 300 atingidos pelo mineroduto do Projeto Vale do Rio Pardo, da Sul Americana de Metais/Votorantim (SAM). O ato tem objetivo de pressionar o Ministério Público e o Governo de Minas Gerais pela revogação do decreto nº 30, anunciado em 22/01/2014 pelo ex-governador Antônio Anastasia, e contará com a visita técnica da Comissão das Águas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O decreto declara como utilidade pública terrenos de 09 municípios do estado, para a passagem do mineroduto, permitindo assim a desapropriação das áreas sem indenização aos atingidos. O Ministério Público Federal já encaminhou pedido de suspensão do licenciamento devido a uma série de irregularidades da empresa SAM.

O projeto de mineração Vale do Rio Pardo, pretende construir uma mina para extração do minério de ferro no município de Grão Mogol e Padre Carvalho, local onde o minério será também beneficiado, e construir um mineroduto de 482 Km de extensão, para o transporte até o porto de Ilhéus (BA).

Para Filipe Ribeiro, da Coordenação Estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) “declarar utilidade pública um mineroduto na região do semi-árido, onde além do minério será transportado água, exportando 100% das nossas riquezas para a China, é crime!”

Existe uma série de contradições onde o estado exerce o papel de facilitador e operador de interesses das empresas, um exemplo disso é declarar como utilidade publica uma obra na qual ainda não possui Licença Prévia, criando a teoria do fato consumado para legitimar o empreendimento. “Esse caso mostra a intima relação do governo mineiro com as empresas mineradoras, que na sua maioria são financiadoras das campanhas eleitorais dos mesmos”. Finaliza o Coordenador Estadual do MAB.

O ato público pode culminar com a interrupção da BR-251 por alguns minutos.

(Fonte: Jornal Folha Regional de Taiobeiras)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui