Peemedebista mineiro confirma ter sido sondado para Secretaria de Aviação Civil

0

O deputado Mauro Lopes (PMDB-MG) confirmou hoje (12/01/2016) que foi sondado pela presidenta Dilma Rousseff para assumir a Secretaria de Aviação Civil (SAC). Lopes disse que, há cerca de 15 dias, o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, conversou com ele sobre o assunto.

O parlamentar ressaltou, porém, que não foi feito um convite, e sim uma sondagem. Mauro Lopes se encontrou no fim da tarde de hoje (12) com o vice-presidente Michel Temer, que é presidente nacional do PMDB, e disse que este deu aval para que ele assumisse o cargo. A SAC ficou sob o comando do peemedebista gaúcho Eliseu Padilha de 1º de janeiro de 2015 a primeiro de dezembro do mesmo ano.

“Eu não fui convidado. Eu fui sondado por pessoas da Presidência da República. Perguntei [ao Temer]. Ele falou: ‘Mauro, terá todo meu apoio’. Porque, realmente, ele é o vice-presidente da República, e sendo a vontade da presidente Dilma, ele apoia totalmente”, afirmou Lopes.

Deputado Mauro Lopes (PMDB-MG) – Foto: Arquivo / Câmara dos Deputados

Segundo o deputado, a intenção da presidenta é colocar na SAC algum representante da bancada de Minas Gerais. “Nós somos sete deputados. Desses sete, pode sair um ministro”, antecipou Lopes. Ele disse que, apesar das divergências internas, o partido é aliado do PT e não vai deixar de apoiar o governo Dilma.

“O PMDB não sai do governo, eu posso adiantar. Porque nós temos responsabilidade com o país, porque nós trabalhamos ativamente na eleição da presidente Dilma. Minas Gerais derrotou Aécio [Neves, que ficou em segundo lugar na eleição presidencial], derrotamos Pimenta da Veiga [PSDB]e elegemos [Fernando] Pimentel em primeiro turno [para o governo do estado]. Então, a responsabilidade do PMDB com o governo é muito grande”, disse Mauro Lopes.

De acordo com Mauro Lopes, a escolha dele como deputado não influencia na disputa interna pela liderança da bancada do partido na Câmara. “Não interfere, porque essa vontade é da presidenta, que manifestou que gostaria de deixar essa secretaria com um deputado de Minas Gerais, então é uma vontade do governo. Não tem nada a ver com esse problema de disputa.”

O deputado explicou que, por esse motivo, e também por ser coordenador da bancada, não se posicionou no fim do ano passado, quando parlamentares destituíram por alguns dias o líder Leonardo Picciani (RJ) e o substituíram pelo mineiro Leonardo Quintão. Hoje (12), os dois nomes foram confirmados para a eleição da liderança do partido, que ocorre em fevereiro.

“Não apoiei nenhum dos dois candidatos [durante a troca em dezembro], eu fiquei neutro, porque eu sou coordenador da bancada. Então, não ficava bem para mim apoiar um ou outro. Não assinei lista, não apoiei”, acrescentou Lopes. (Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.