Criança mimada é falta de educação? Sim. E a culpa é dos pais – Nilberto Antônio

0
Anglo Queimadas

Caro leitor!

Escrevo esse texto, afirmando que crianças mimadas, essas que dão birras, fazem verdadeiros “shows” quando suas vontades não são atendidas, no momento em que desejam, colocando os pais em situações por vezes constrangedoras é sim falta de educação, e a culpa por essa criança se comportar assim é dos pais.

A princípio esse texto pode parecer ofensivo, mas calma, vou explicar!

Mesmo que você não tenha filhos, provavelmente já presenciou cenas semelhantes: criança se jogando no chão e gritando porque não recebe o que quer na hora que está pedindo; criança gritando (e até batendo) nos pais porque não ganharam o que querem, na hora que querem; criança jogando comida no chão porque não é o que quer comer. Pois esse comportamento é de criança mimada e indica, sim, falta de educação.

Uma geração de crianças que se comportam dessa forma, que parecem não ter limites está se formando. Essas crianças são filhos mimados e com baixa tolerância a frustração. Mas por que a culpa por essas crianças se comportarem assim é dos pais?

Esta situação pode ser explicada por uma mudança social e até econômica. Os pais e as mães estão muito mais ausentes, trabalhando muito. As crianças ficam muito ligadas em aparelhos tecnológicos e tendo pouco contato com a família. Isso desencadeia um comportamento social sem muitos limites. Além do mais, esses pais sentem-se culpados por passarem pouco tempo com seus filhos, e quando estão com eles, permitem que façam tudo que desejarem, acreditando que assim pode compensar a sua ausência, e acabam esquecendo de impor limites ao seu filho.

Limite aliás, é a palavra chave para lidar com uma criança mimada e também pode ser a “salvação” para esse tipo de comportamento. O problema, é que o sentimento de culpa dos pais acaba desencadeando um comportamento vicioso. Os pais não querem repreender a criança porque sentem culpa por não passarem mais tempo com ela. Os filhos percebem essa culpa dos pais e usam ao seu próprio favor, testando limites e – também a paciência.

O grande problema é que uma criança mimada é uma criança que tem baixa tolerância à frustração. Não sabe ouvir um não e não consegue se comportar bem socialmente. Esse “não consegue” passa pela questão da criança saber que os pais não vão repreendê-la em um lugar público, por isso acaba colocando a família em situação constrangedora.

No entanto, por mais dolorido que pareça ser os pais precisam impor limites aos filhos, uma vez que, essas crianças vão crescer e se tornarem adultos com baixa tolerância a frustração, logo, aumentam as chances de serem adultos infelizes, isso porque, no mundo adulto, temos que lidar o tempo inteiro com frustrações oriundas das mais diversas situações do dia a dia. E essas crianças que não estão aprendendo isso na infância, apanharão muito até aprender quando forem adultos.

Por fim, afirmo que os pais precisam aprender a estabelecer limites para os filhos. E pais, fiquem tranquilos, dizer não para seu filho não é um ato de crueldade, é um ato de amor. Seu filho até pode ficar triste no momento, mas se você souber explicar o motivo do seu não ele certamente vai compreender, seguirá a vida brincando, sendo criança e aprendendo a lidar com frustrações. Crueldade mesmo será se você pai sempre ceder aos caprichos dos pequenos, isso fará com que cresçam achando que podem tudo, e infelizmente nessa vida “querer não é poder” e todas as vezes que a vida lhe impor um não este se frustrará e não terá recursos para lidar com a situação, o que fará dele um adulto triste é com grandes possibilidades de desenvolver transtornos graves como a depressão, por exemplo.

Em resumo, uma criança para se tornar um adulto saudável precisa se frustrar, pois somente assim vai desenvolver recursos para enfrentar os dilemas e as dores da vida!

Nilberto Antônio

Nilberto Antônio Gonçalves, psicólogo clínico com ênfase em atendimento de crianças especiais. Trabalha com Orientação Profissional. Psicólogo do Projeto Responsabilidade na Infância e Adolescência – RIA do Centro Social Mali Martin. Atua voluntariamente na Associação Amar e Renascer – Aamar (Instituição para tratamento de dependentes químicos) de Itamarandiba.

Facebook: Nilberto Antônio
Instagram: @nilberto_antonio
E-mail: nilbertog@ymail.com ou nilbertoantonio@bol.com.br
Telefone: (38) 9 9139-6023

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui