Exploração de lítio poderá mudar realidade socioeconômica de Araçuaí e região

3

O Vale do Jequitinhonha poderá estar iniciando um novo processo de transformação de sua realidade socioeconômica. Uma reunião realizada nesta quarta-feira (13/12/2017) na Sede da Unopar – Universidade Norte do Paraná -, em Araçuaí, convocada pelo Ministério Público Estadual, começou a discutir a instalação entre os municípios de Araçuaí e Itinga, de um polo de exploração, beneficiamento e exportação de minério de lítio. Uma jazida de proporções ainda em fase de avaliação foi descoberta na região, entre estes municípios que concentram cerca de 8% das reservas de lítio do planeta.

Participaram do encontro, representantes da sociedade civil e das Forças Armadas, além de procuradores e promotores públicos. Durante a manhã, os oficiais das Forças Armadas e promotores visitaram a área onde será extraído o lítio, a cerca de 10 km de Araçuaí.

O Ministério Público vai promover, antecipadamente, a fiscalização das ações de governo e da iniciativa privada na implementação do projeto, orçado em U$ 500 milhões de dólares.

O promotor de Justiça, Leonardo Duque Barbabela, que orientou o debate assegurou que o conjunto de iniciativas poderiam transformar, positivamente, a face do Vale do Jequitinhonha. Ele destacou, a necessidade de se promover uma mobilização geral da sociedade regional uma vez que a implantação do empreendimento vai exigir ações do Poder Público de obrigações legais, em variados setores, notadamente nos campos ambientais; trabalhistas e tributários, que poderão comprometer a agilidade no processo de produção do polo.

Para o diretor executivo da Sigma Mineração, Calvyn Gardner, o Vale do Jequitinhonha poderá se transformar num importante centro latino americano de exportação de concentrado de lítio mas que para isso, é preciso percorrer um longo caminho que passa desde os licenciamentos à formação de mão de obra e cumprimento de obrigações legais. A Sigma, uma multinacional inglesa, é detentora de 12 mil hectares de área onde se concentra o lítio, adquirida da antiga Mineração Arqueana, nos municípios de Araçuaí e Itinga.

Os governos do Chile e Argentina estão em busca da tecnologia que possibilite a instalação de um concentrador em seus territórios. “Só é viável um concentrador em cada continente”, destacou os dirigentes da Sigma.

Comitiva das Forças Armadas inspecionou área de exploração (Foto: Daniel Gonçalves)

Assédios

Recentemente em oficio encaminhado ao Ministério Público, a Sigma informa que agentes públicos estão se aproveitando da burocracia estatal para assediar as empresas interessadas no processo, oferecendo facilidades e pedindo propinas. Disse não ter provas e não aponta quem estaria pedindo vantagens para acelerar os processos. Foi instalado no mês passado, pelo promotor Leonardo Duque Barbabela, procedimento administrativo para apurar as denúncias.

O prefeito de Araçuai, Armando Paixão (PT) disse estar indignado com o documento produzido pelo Ministério Público que instaurou o procedimento. “Ficou parecendo que eu e o prefeito de Itinga, Adhemar Marcos, estamos impedindo o empreendimento e pedindo propina”, disse ele.

O promotor Leonardo Duque Barbabela da 17ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimômio, destacou que o procedimento era cautelar e que por enquanto, não há indícios de crime mas que o Ministério Público não pode esperar que ele ocorra.

O presidente da Associação Pró Desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha, Coronel Gilvam Almeida Sá, convidado pela Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG, a participar do debate, disse que este é o momento do Vale, porque o lítio é o petróleo branco. “ As questões ambientais e trabalhistas se discutem dentro do ordenamento jurídico”, afirmou.

O procurador geral adjunto de Justiça do Estado, Rômulo Ferraz, que esteve no evento informou aos representantes das entidades presentes à audiência que provocaria o Governo do Estado a abraçar este projeto de forma a viabilizar os trâmites burocráticos de todo o processo de licenciamento e implantação. “Procurarei até o governador”, garantiu.

Outra preocupação abordada durante o encontro foi a preparação da mão-de-obra, principalmente de técnicos de nível médio e superior que serão empregados. “É necessário a capacitação local, evitando assim, a vinda de profissionais de outras regiões e por isso o envolvimento das escolas é fundamental”, destacaram os representantes da Sigma.

O processo entra agora na fase de licenciamentos ambientais. A previsão é que até o final de 2019 seja iniciada a exploração e beneficiamento do lítio na região. O Brasil não possui ainda a tecnologia para este beneficiamento. ” Vamos trazer a indústria e depois a tecnologia”, afirmaram os executivos da Sigma.

“Esta é uma oportunidade de desenvolvimento regional. É preciso mobilizar todos os segmentos. Se não conseguirmos instalar o projeto, a região será mera exportadora do minério”, advertem os empreendedores.

Representantes das entidades presentes destacaram a importância de se ampliar o debate com a comunidade atingida, de forma a dar transparência a todo o processo.

Para que serve o lítio

Trata-se de um metal estratégico de grande interesse na industria bélica e energia nuclear, mas também empregado na indústria cerâmica e de vidros.

Em vários países, especialmente nos Estados Unidos, maior produtor, consumidor e exportador mundial, na União Soviética e República Popular da China, os dados sobre o lítio são de circulação restrita ou confidenciais.

Na América do Sul, O Chile é o principal líder na produção de lítio, seguido pela Argentina. Ambos os países extraem o lítio nas piscinas de água salgada. Entretanto, metade das reservas mundiais conhecidas estão armazenadas na Bolívia.

No Vale do Jequitinhonha, que concentra pelo menos 8% das reservas mundiais, o lítio é explorado pela CBL-Companhia Brasileira de Lítio- instalada entre os municípios de Araçuaí e Itinga.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: Gazeta de Araçuaí / Repórteres: Sérgio Vasconcelos e William Santos)

3 COMENTÁRIOS

  1. Boa noite pessoal!
    Muito saber que o Vale ainda tem um futuro promissor. Sou do Vale também, e gostaria de participar deste crescimento. Sou Biólogo e gostaria de entregar meu currículo à Sigma, vocês poderia me enviar um link ou endereço onde eu possa deixar o meu?

Deixe uma resposta para Adalberto Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui