Após morte da mãe, homem agride médico na UPA de Teófilo Otoni

0
Semana do Empreendedorismo Sebrae Nanuque

Um homem de 37 anos foi detido nessa quinta-feira, 6 de outubro de 2016, após agredir um médico que estava trabalhando na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Segundo informações da Polícia Militar (PM), M.A.S, natural de Ouro Verde Minas, ficou nervoso depois de receber a notícia de que a mãe dele havia falecido. A polícia informou que a idosa Iraci Alves de Souza, de 67 anos, foi internada na quarta-feira e morreu na manhã dessa quinta após receber atendimento.

Ainda de acordo com a polícia, o médico, de 63 anos, não informou as causas da morte e o homem teria se irritado. Em seguida, M.A.S agrediu o profissional de saúde com socos e chutes. Outro rapaz, que também estava no hospital com o autor, foi preso após chutar as cadeiras da sala de espera.

O médico agredido recebeu atendimento e foi liberado. Os dois homens foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil para demais providências.

O corpo de Iraci foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) de Teófilo Otoni e examinado pelos legistas Júlio Campos e Gustavo Merian. Após a necropsia, os médicos concluíram que a causa da morte foi uma trombose mesentérica.

Trombose mesentérica

De acordo com Débora Carvalho Meldau, a trombose venosa mesentérica trata-se de uma condição médica na qual um coágulo de sangue obstrui a veia que irriga o mesentério, tecido que conecta o intestino à parede abdominal. É uma condição rara, que é responsável por 5% a 15% de todos os casos de isquemia intestinal.

Embora 20% a 40% dos casos sejam classificadas como idopáticos ou “primários”, a maior parte dos casos são consequentes de condições subjacentes, sendo as mais comuns: tumores, policitemia vera, deficiência de proteína C e proteínas S, deficiência de antitrombina III e cirurgia na região abdominal. Outros fatores de risco são: pancreatite, hipertensão portal, esplenomegalia, doença descompressiva, hemoglobinúria paroxística noturna e infecção. Sabe-se também que mulheres que usam anticoncepcional composto por estrogênio e fumam possuem maiores chances de desenvolverem trombose mesentérica.

A fisiopatologia deste distúrbio caracteriza-se, inicialmente, por congestão da parede intestinal, seguida por surgimento de edema, hemorragia intramural e, por fim, necrose hemorrágica, fator que pode levar à ascite serohemorrágica e as manifestações clínicas de peritonite.

Sintomas da trombose mesentérica

– Dor abdominal que pode intensificar-se após uma refeição;
– Distensão abdominal;
– Diarreia;
– Hemorragia gastrointestinal;
– Vômito.

Médico foi agredido na UPA de Teófilo Otoni (Foto: Divulgação)

(Com informações do G1 dos Vales, PMMG e Info Escola)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.