Home / Mundo / “Não existe um deus da guerra”, diz o papa Francisco

“Não existe um deus da guerra”, diz o papa Francisco

O papa Francisco participa nesta terça-feira (20/09/2016), na cidade italiana de Assis, em Perugia, do Encontro Inter-religioso pela Paz com mais de 500 líderes de nove diferentes religiões. Além do compromisso com os religiosos, Francisco encontrará com um grupo de 25 refugiados que moram na região e são assistidos tanto pela Comunidade de Santo Egídio, que organiza o evento, bem como por entidades religiosas locais.

Antes de partir para o encontro, o pontífice rezou a tradicional missa de Santa Marta e afirmou que o momento vivido em Assis “não é um espetáculo”, mas simplesmente um ato “para rezar pela paz. “Hoje, o mundo terá seu centro em Assis, para um dia de orações, penitência e pedidos, porque o mundo está em guerra. Deus, pai de todos, cristãos ou não, quer a paz. Não existe um deus de guerra, quem faz isso é o diabo. Rezemos para o Senhor a fim de que nos dê um coração de paz, além das divisões religiosas, porque todos somos filhos de Deus”, disse o líder católico.

Francisco classificou as guerras de “vergonha” e disse que iria a Assis “sem fechar os ouvidos” para o grito de dor de quem está sofrendo. Ele fez ainda um pedido a “todos os bispos do mundo”, convidando os “católicos, cristãos, crentes e todos os homens e mulheres de boa vontade, de qualquer religião, para rezar pela paz”, porque “o mundo está em guerra e sofre”.

O encontro Sede de Paz: Religiões e Culturas em Diálogo marca ainda os 30 anos da primeira vez que um líder da Igreja Católica reuniu-se com representantes de várias religiões – inclusive as consideradas “pagãs”–- em Assis. Na época, o para era João Paulo II e foi muito criticado pela abertura por alas mais conservadoras da Igreja.

Além dos religiosos, o encontro contará com a presença de seis vencedores do Prêmio Nobel da Paz: a ativista norte-irlandesa Mairead Maguire; o presidente emérito da Polônia, Lech Walesa; a ativista norte-americana pelos direitos humanos Jody Williams; a líder da Primavera Árabe no Iêmen, Tawakel Karman; e dois membros do Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia, Amer Meherzi e Hassine Abassi. (Ansa Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>