Paciente com estágio avançado de câncer se casa em hospital de Montes Claros

1

Lençóis hospitalares serviram de cenário, pedaços de tecidos usados em esterilizadores se transformaram em tapete, e um quarto de hospital virou capela, com direito a padre e vestido de noiva. Tudo isso aconteceu na Santa Casa de Montes Claros, nesta terça-feira (02/08), durante a realização do maior sonho de Gilberto Pequeno, um homem de 50 anos com câncer em estágio avançado: o casamento.

A noiva do Gilberto, agora esposa, é a servidora pública Ângela Maria de Jesus, que vive com ele há 19 anos. A história, apesar de passar por um capítulo difícil, é cheia de amor e, sobretudo, esperança. Ângela acredita na recuperação do marido e em um futuro melhor para os dois. “Este momento para nós dois representa muita felicidade. Eu tenho certeza de que ele vai melhorar e continuar aqui do meu lado, para seguirmos nossa vida em paz. É isso que significa nossa união. Só a morte vai poder nos separar, e se acontecer vai ser da vontade de Deus”, se emociona a servidora.

A cerimônia rápida, simples e improvisada, não precisou de muito para emocionar. Ainda assim, os funcionários do hospital se mobilizaram para deixar o enlace do Gilberto e da Ângela mais especial. Uma vaquinha entre os enfermeiros arrecadou dinheiro para comprar um buquê de flores para a noiva, e o quarto hospitalar foi todo decorado e reposicionado para que tudo acontecesse.

“Apesar do improviso, nós unimos forças com a portaria, para que os parentes e amigos do Gilberto pudessem entrar e assistir, contamos com a higienização, que fez a limpeza do local para receber a todos, e que limpará tudo de novo para a acomodação dos pacientes. Todo mundo contribuiu de alguma maneira. Acreditamos que o maior presente somos nós, da saúde, quem recebemos. A humanização vai além do trato do dia-a-dia, compreende fazer algo a mais para fazer essas pessoas que sofrem mais felizes”, afirma a enfermeira Dannyelle Ribeiro.

Os colegas de quarto, também pacientes em estágio grave, participaram do momento. Júlio Xavier, também internado, garante que o astral e a emoção do casamento contagiaram a ele e aos outros internos. “Ver todo mundo alegre faz bem para nós. O astral foi muito bom, trouxe felicidade para nós. Parece que nós também ficamos melhores com esse momento”, garante.

Gilberto e Ângela se casaram na Santa Casa de Montes Claros (Foto: Página Eventos MOC)

Concessão da Igreja

Há 10 anos não se realizava um casamento fora de uma Igreja Católica em Montes Claros. O padre Aylson Bessa foi o responsável por presidir o matrimônio entre Gilberto e Ângela. A noiva foi batizada dentro do hospital, para depois poder se casar, segundo o regimento católico. O religioso explica que a emoção das circunstâncias permitiu que a autorização fosse concedida pela Igreja.

“A fé dos noivos na cura e no amor foi o que levou a Igreja a permitir que realizássemos o matrimônio fora da Igreja. Estava planejado para ser na casa do Gilberto, mas, como ele precisou ser internado às pressas, resolvemos fazer dentro do hospital mesmo. Ele se confessou e revelou que era a vontade que tinha, de realizar o sonho da esposa de se casar. Esta união mostra que podemos realizar nossos sonhos, e que a fé no amor ainda existe, ainda que haja a dor da doença e o sofrimento”, completa o padre.

Gilberto e Ângela se casaram na Santa Casa de Montes Claros (Foto: Juliana Gorayeb/G1)

(Fonte: G1 Grande Minas)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.