Sobe para 115 o número de cidades mineiras em situação de emergência por causa da seca

0

O mês de junho começou com chuva na Região Metropolitana de Belo Horizonte e em outras regiões de Minas Gerais. Mesmo assim, não está sendo suficiente para ajudar alguns municípios que sofrem com a seca e a estiagem desde o ano passado. Boletim da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) divulgado nesta terça-feira (7/6) mostra que 115 cidades já decretaram situação de emergência. Somente nas últimas 24 horas, quatro entraram para a lista: Formoso, na Região Noroeste, Santa Fé de Minas e Jequitaí, da Região Norte, e Bandeira, do Vale do Jequitinhonha.

Os dados divulgados pela Cedec mostram que em maio foi o período mais crítico. Foram 33 municípios que pediram ajuda para enfrentar a seca e a estiagem, uma média de uma solicitação por dia. Em seguida, vem abril, com 21 decretos de emergência, Janeiro, com 19, e Março com 17. Todos as solicitações acatadas pelo Estado têm vigência de 180 dias.

Por causa da seca, a Copasa está realizando rodízios em 20 cidades mineiras. Na lista, publicada no site da empresa, estão incluídas Campanário, Capitão Enéas, Caratinga, Catuti, Congonhas / Alto Maranhão, Cristália, Engenheiro Caldas, Entre Folhas, Ibiracatu, Iapu, Ipaba, Janaúba, Mato Verde, São João do Bonito, Montes Claros, Revés do Belém / Bom Jesus do Galho, Riacho dos Machados, Santa Maria do Suaçuí, São João do Oriente, e Tarumirim.

De acordo com a Copasa, por causa da estiagem dos últimos anos, o abastecimento está prejudicado em algumas cidades de Minas Gerais como Capitão Enéas, Catuti, Congonhas/Alto Maranhão, Engenheiro Caldas, Ibiracatu (Bonanza), Ipaba, Mato Verde, Montes Claros, Revés do Belém, Riacho dos Machados e São João do Bonito (distrito de Mato Verde). “Diversas medidas estão sendo estudadas e tomadas pela Copasa para garantir o abastecimento da população nessas cidades, como o uso de caminhões-pipa, a execução de manobras nas redes de água, perfuração de poços profundos, novas setorizações e campanhas de conscientização”, afirmou a Companhia.

Grande BH

As chuvas em junho estão ajudando na recuperação dos reservatórios do Sistema Paraopeba, responsável pelo abastecimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Nesta terça-feira, o reservatório do Rio Manso, maior represa do conjunto, rompeu a barreira dos 75% de água acumulada. A última vez que isso aconteceu foi em 1º de julho de 2014, há quase dois anos.

Segundo a Copasa, hoje, Vargem das Flores registra 47,1%, Serra Azul 34,2% e Rio Manso 76%. O Sistema Paraopeba, que é o conjunto das três, está com 58,6%.

(Fonte: Estado de Minas / Repórter: João Henrique do Vale)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.