Chuva deixa seis cidades mineiras em situação de emergência ou de calamidade

0

Os estragos em cidades do interior de Minas Gerais por causa da chuva vêm causando prejuízos para moradores e prefeituras. Subiu para seis o número de cidades que pediram ajuda ao Governo Estadual para enfrentar os problemas. São quatro em situação de emergência e outras duas em estado de calamidade. O número de pessoas desabrigadas, segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), já chega 681.

O último a entrar para a lista, divulgada na manhã desta sexta-feira, foi Inconfidentes, na Região Sul de Minas. O município sofreu com alagamentos e enchentes que atingiram ao menos 300 famílias. Além disso, foram registrados deslizamentos de terra que deixaram comunidades rurais isoladas.

A prefeitura de Ferros, na Região Central, também decretou estado de calamidade. O temporal que atingiu a cidade deixou ao menos 600 desalojados. A enchente causada pela chuva é considerada a maior desde 1979. A cheia do Rio Santo Antônio deixou ao menos seis distritos do município isolados.

Além delas, Itamonte, no Sul de Minas Gerais, e Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte decretaram situação de emergência neste ano. Itanhomi, no Vale do Rio Doce, e Palma já tinham decretado situação emergência no final do ano passado.

Outro município que pode entrar para a lista nos próximos dias é Serro, também na Região Central de Minas Gerais. Os estragos durante a chuva nessa quinta-feira deixaram três distritos e seis comunidades rurais isoladas. Pelo menos 30 pessoas, com auxílio de três máquinas e seis caminhões, participam, nesta sexta-feira, do serviço de limpeza e reconstrução de pontes e manilhas que foram destruídas pela força da água.

Números da chuva em Minas

De acordo com o último boletim divulgado pela Cedec, os temporais em Minas Gerais deixaram 1.636 pessoas desalojadas. Esses moradores foram retirados das residências por precaução e depois poderão retornar. Outras 681 ficaram desabrigadas. As precipitações deixaram dez pessoas feridas. Uma morte foi confirmada. Trata-se de Antônio Luiz Alves Júnior, de 30 anos, levado pela correnteza em Montes Claros, no Norte de Minas, quando tentava impedir que sua moto também fosse encoberta pela água em novembro do ano passado.

Os temporais danificaram 1.074 casas e deixaram sete destruídas. Foram 20 pontes danificadas e duas destruídas, segundo a Cedec.

(Fonte: Estado de Minas / Repórter: João Henrique do Vale)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.