Corpo de Bombeiros amplia presença no interior de Minas Gerais

0

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) amplia a presença no interior de Minas Gerais, colocando em execução o Plano de Comando 2015/2026. Na última semana, a corporação instalou o 4º Pelotão de Bombeiros, no município de Guaxupé, na região Sul, somando 63 unidades em todo estado.

A nova unidade vai reduzir em até 80 km a distância de deslocamento para atender a ocorrências em mais seis municípios. Além de Guaxupé, o pelotão atenderá aos municípios de Juruaia, Muzambinho, São Pedro da União, Arceburgo, Nova Resende e Guaranésia.

O efetivo do 4º Pelotão de Bombeiros é de 29 militares e quatro viaturas: uma unidade de resgate, equipada para atendimento a urgências e emergências; uma autobomba tanque para combate a incêndios e uma auto-salvamento.

De acordo com o comandante do pelotão, sargento Ivan Reis, a presença do Corpo de Bombeiros em Guaxupé vai potencializar o atendimento à população. “O município está em franco desenvolvimento, principalmente na área industrial, o que aumentará a demanda pelos  serviços da corporação”, diz.

Pelotão de Guaxupé, inaugurado na última semana, vai atender a ocorrências em seis municípios da região Sul de Minas Gerais – Foto: Júlio Fotógrafo / Divulgação Agência Minas

Antiga reivindicação

O município de Guaxupé tem 49 mil habitantes e mais de 2,4 mil estabelecimentos comerciais. A unidade do Corpo de Bombeiros era uma reivindicação antiga da população, devido à importância dos trabalhos de prevenção e combate a incêndios, atendimento pré-hospitalar, busca e salvamento e demais atividades executadas pela corporação.

A sede está localizada em um antigo terreno onde funcionava a Escola Estadual Major Washington. O pelotão  também oferece o serviço de análise de projetos e vistoria, que era feito pelo município de São Sebastião do Paraíso.

Plano de comando

A inauguração de mais uma unidade do Corpo de Bombeiros é uma das ações previstas no Plano de Comando 2015/2026, que tem o objetivo de expandir o atendimento no estado.

Nessa linha de trabalho, a corporação já implantou, só neste ano, pelotões em Leopoldina, na Zona da Mata, e Caratinga, no Rio Doce. Também foram instalados Comandos Operacionais nas cidades de Governador Valadares, Montes Claros e Poços de Caldas.

A previsão é a de que, até 2026, o Corpo de Bombeiros esteja instalado em 124 municípios. Essa meta aproxima Minas Gerais da média nacional relacionada à presença da corporação em municípios por unidade da Federação.

Emergência médica

Outra ação do Plano de Comando é a implantação da Companhia Independente de Resgate, para cuidar da gestão das atividades de atendimento pré-hospitalar, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Em fase piloto, o projeto estabelece a gerência única e especializada do serviço de emergências médicas do Corpo de Bombeiros.

O objetivo, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), é reduzir o tempo de resposta nos atendimentos entre o momento em que o cidadão aciona o socorro até o instante em que recebe atendimento.

“A criação da Companhia de Resgate vai promover uma especialização dos nossos bombeiros para atendimento a uma das atividades mais importantes para a corporação e necessárias para a população”, destaca o coronel do CBMMG, Sebastião Carlos Fernandes .

Segundo o coronel Fernandes, a Companhia de Resgate vai proporcionar também uma maior integração com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “Com isso, será oferecido à população um atendimento com mais qualidade e mais efetividade”, diz.

Funcionamento

A Companhia de Resgate será implementada em fases e está na etapa piloto, com testes de rotinas, escalas, pessoal e de infraestrutura em andamento.

O atendimento será oferecido a acidentes com vítimas feridas, acidentes com vítimas encarceradas, partos de emergência, queimaduras, resgates de motociclistas, mal súbito, quedas e acidentes vasculares cerebrais, paradas cardiorrespiratórias, entre outras urgências e emergências.

Estão previstas três unidades de resgate, seis motos resgates e 125 militares para atendimento à população, em dois turnos, 24h por dia. Pelo alto, o helicóptero EC-145, assim como os dois ‘Esquilos’ que pertencem ao Batalhão de Operações Aéreas, vão continuar prestando suporte a todas as unidades que necessitem do atendimento.

A previsão é a de que sejam investidos mais de R$ 1 milhão entre equipamentos e materiais, tais como colares cervicais, mantas térmicas, kits para partos e queimaduras, dentre outros. (Agência Minas)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.