Homem conhecido como “Maníaco da Bolsa” é considerado incapaz pela justiça de Ipatinga

0

Ele foi considerado incapaz de entender a gravidade do crime ao praticá-lo. Marques responde por 27 processos na justiça entre estupro e roubo.


O Poder Judiciário Ipatinguense considerou semi-imputável o homem conhecido como “Maníaco da Bolsa”. Marques Alves dos Santos, de 38 anos, foi preso no ano passado após 12 anos foragido da justiça. Ele é acusado de uma sequência de roubos e estupros em Ipatinga no final da década de 90.

A homologação do laudo pericial foi feita na última segunda-feira (3). A Justiça entendeu que o réu não era inteiramente capaz de discernir a gravidade de um dos crimes pela qual responde. Marques tem 27 processos entre estupro e roubos que tramitam na comarca de Ipatinga.

Ele está preso em Feira de Santana (BA) e deverá retornar ao Vale do Aço no dia 13 de janeiro de 2015, para uma audiência de julgamento e instrução na 2ª Vara Criminal da Comarca de Ipatinga.

Homem estava foragido da Justiça de Ipatinga desde de 2001 (Foto: Patrícia Belo/G1)

Implicações

Como o réu foi considerado semi-imputável, se condenado a pena será mais leve, isto porque a justiça leva em conta que o acusado tem algum discernimento, porém, é incapaz de considerar a gravidade do crime no momento em que ele está sendo praticado. Além deste processo, outros também estão suspensos aguardando o laudo de insanidade mental do acusado.

Entenda o caso

Marques foi preso no dia 29 de agosto de 2013 pela polícia Civil de Ipatinga. Ele era foragido da Justiça e foi acusado de uma série de roubos e atentados sexuais contra mulheres nos bairros Horto, Bom Retiro, Bela Vista e Cariru no final da década de 90, quando ficou conhecido como o “maníaco da bolsa”. O criminoso foi preso em Salvador (BA), durante a operação denominada “Cerco ao Marques”. Os trabalhos de investigação duraram cerca de quatro meses.

Na época, o suspeito não resistiu à prisão e também não negou que tivesse cometido os crimes. Na apresentação, ele disse que após fugir do Vale do Aço, não cometeu mais nenhum estupro. Afirmou ainda, que estava disposto a pagar pelos erros na justiça.

Marques é considerado o maior estuprador em série da história de Ipatinga. Natural do município baiano de Paulo Afonso, mudou-se com a família para Minas Gerais ainda na infância. Em 1999, se tornou conhecido como o maníaco que atacava mulheres em áreas nobres de Ipatinga e, utilizando de força física e sempre armado, agredia as vítimas e tomava suas bolsas e objetos de valor. Em alguns casos, também chegava a estuprar as mulheres. Segundo as investigações da época, o bandido agia com intensa violência e demonstrava prazer ao ver o sofrimento das mulheres.

Ao todo, foram oito roubos, três tentativas de estupro com roubo, um estupro tentado e um estupro consumado. Todos os crimes foram cometidos entre os meses de fevereiro e junho de 1999. Até sua captura, em agosto do ano passado, o acusado possuía dez mandados de prisão em aberto, relativos a 12 processos diferentes, além de uma condenação há nove anos e quatro meses pelo crime de estupro.

Na época o caso foi apurado pela delegada de mulheres Vera Almeida Viana, que, ainda em 1999, conseguiu prender o estuprador. Marques chegou a ser condenado pela Justiça e cumpriu pena por um ano. Entretanto, em agosto de 2001, o bandido conseguiu fugir da antiga cadeia de Timóteo e se mudou para o Estado de Pernambuco.

Pouco tempo depois, foi morar na Bahia, onde se fixou e permaneceu até ser preso novamente. No estado baiano Marques se casou, teve uma filha e trabalhava como gesseiro, utilizando o nome falso de Vinícius Marcos da Silva. De acordo com a Polícia Civil da Bahia, o suspeito usava a identidade falsa desde 2001.

(Inter TV dos Vales)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.