Morte do piloto brasileiro Ayrton Senna completa 20 anos

0

O mundo lembra nesta quinta-feira (1) os 20 anos sem o piloto Ayrton Senna.

Em São Paulo, cidade onde o ídolo brasileiro nasceu, alguns fãs também se mobilizaram. Em um gesto emotivo, foram colocadas homenagens no túmulo de Senna, no Cemitério do Morumbi. Flores, recados e fotos foram deixadas diante da placa com o nome do piloto.

Quando Ayrton Senna morreu, em 1994, houve uma imensa mobilização nas ruas de São Paulo. O velório durou mais de 22 horas e contou com a presença de cerca de 240 mil pessoas. O corpo chegou ao Brasil no dia 4 de maio daquele ano, mas só foi enterrado no dia seguinte.

Local onde o ídolo brasileiro está enterrado. (Foto: Agência Reuters)

Milhares de fãs comparecem ao Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola, na Itália, nesta quinta-feira, para prestar homenagens a Ayrton Senna. No dia dos 20 anos da morte do piloto brasileiro, a curva Tamburello, local do trágico acidente que maculou o GP de San Marino de 1994, transformou-se em um palco de homenagens e orações.

Contemporâneos do tricampeão, como o ex-companheiro Gerhard Berger e os italianos Riccardo Patrese e Emanuele Pirro, e a atual dupla da Ferrari, Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, também marcam presença no evento “Ayrton Senna Tribute”.

O “Ayrton Senna Tribute” foi organizado em parceria com a Câmara Municipal de Ímola e o Instituto Ayrton Senna. A programação foi aberta com uma missa na Catedral de Ímola, celebrada na quarta-feira, e segue até o próximo domingo com exposições de filmes, fotos e carros do tricampeão, desfile de carros antigos, corridas de kart. A mostra sobre o piloto brasileiro inaugurou o museu do circuito, batizado de Checco Costa, fundador do autódromo. O austríaco Roland Ratzenberger, vítima de outro acidente naquele fatídico fim de semana, também é lembrado nas homenagens.

Foto: G1/Felipe Siqueira

O primeiro dia do evento será encerrado com um jantar beneficente e a exibição do filme “Ayrton”, de Ercole Colombo e Angelo Orsi. No estádio Romeo Galli, a 44km do circuito, também como parte do evento, será disputada uma partida de futebol com o “Nazionale Piloti”, famoso time formado por pilotos e ex-pilotos. Parte da renda do evento será destinada ao Instituto Ayrton Senna, organização presidida pela irmã do piloto, Viviane Senna, que ajuda cerca de 2 milhões de crianças pelo Brasil.

Na sexta-feira, a extensa programação prevê corridas de kart na parte da manhã e à tarde. À noite, o paddock será palco de um show musical. No sábado, haverá desfiles de carros, visita guiada ao circuito e a projeção do documentário “Senna”, de Asif Kapadia. No último dia, serão realizadas corridas a pé e de bicicleta pelo traçado, desfile de carros antigos, além da cerimônia de encerramento.

As homenagens ao brasileiro também tomaram conta da internet neste feriado do Dia do Trabalho. A McLaren, escuderia com a qual Ayrton conquistou seus três títulos mundiais na Fórmula 1, publicou um vídeo em que exalta as incríveis corridas disputadas nas ruas de Monte Carlo. O filme relembra a volta de Senna no treino classificatório para o GP de Mônaco de 1988, quando o brasileiro foi 1s427 mais rápido que o rival e companheiro de equipe, Prost. Com seis vitórias, Senna permanece como recordista de triunfos da prova mais tradicional da categoria. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.