Moradores reclamam de falta de água em Capelinha, no Vale do Jequitinhonha

0

A Prefeitura Municipal de Capelinha (MG) divulgou nessa sexta-feira (20/09/2019) uma nota da Assessoria de Imprensa da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) sobre o abastecimento de água na cidade. Segundo a empresa estatal, foi registrada uma grande redução no volume de captação no Ribeirão dos Franciscos e que a situação é causada pelo prolongado período de estiagem.

Ainda segundo a nota, a Copasa está trabalhando para evitar o desabastecimento, mas a participação da população também é muito importante. “Atitudes simples, como lavar o carro com balde de água no lugar da mangueira; deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes; tomar banhos rápidos; molhar plantas com regador e não lavar o passeio com água tratada fazem muita diferença”, diz a empresa.

A Copasa não informou na nota enviada ao Município, mas aparentemente está adotando sistema de rodízio. Isso quer dizer que enquanto uma região é abastecida, a outra pode ficar sem água.

Moradores questionam falta de comunicação

A Copasa só se manifestou após funcionários do Setor de Comunicação da Prefeitura cobrarem esclarecimentos da empresa sobre reclamações de moradores sobre a falta de água em suas residências.

O morador José Santos disse que está sem água em sua residência desde quinta-feira (19). “É impressionante a irresponsabilidade dessa empresa com a população. Poderiam pelo menos usar um pouquinho do que arrecadam nas contas para investir em comunicados para alertar os moradores, só falam que a água acabou depois que já não está caindo uma gota”, desabafou.

“A Copasa sabe que está faltando água, mas não investe nada para melhorar. É um absurdo uma cidade de 40 mil habitantes não ter um reservatório para abastecimento. Já estive no local de captação no Ribeirão dos Franciscos, é um poço em um riacho bem pequeno, é o mesmo utilizado desde quando a cidade ainda era muito pequena. É preciso cobrarmos dessa empresa um investimento na cidade, afinal pagamos contas caras todos os meses. Por exemplo, já faz mais de cinco anos que pago uma taxa cara de esgoto dinâmico com coleta (EDC), mas em Capelinha ainda não tem uma estação de tratamento em funcionamento. Poderiam utilizar os recursos para construir uma represa em um rio grande do município, como o Itamarandiba”, disse um leitor do Aconteceu no Vale que preferiu não se identificar.

“Eu percebi que estava sem água em casa na manhã de ontem [sexta], quando todas as torneiras secaram. É bem possível que já estava sem abastecimento há dois ou três dias, pois temos uma caixa de mil litros para uma casa com apenas duas pessoas. Ontem e hoje precisei contar com a solidariedade de um vizinho, que disponibilizou alguns baldes com água. Armazenei nos tanques de lavar roupas, em baldes e bacias. Estamos tomando banho com caneca”, disse uma moradora do bairro Acácias.

Leia a nota da Copasa:

A Copasa informa que nos últimos dias foi registrada uma grande redução do volume da captação Ribeirão dos Franciscos, responsável pelo abastecimento da cidade de Capelinha.

A Copasa esclarece que a situação é causada pelo prolongado período de estiagem na bacia hidrográfica do referido manancial, que pode fazer com que o abastecimento na localidade fique prejudicado.

A Companhia está trabalhando para evitar o desabastecimento, mas a participação da população também é muito importante.

Atitudes simples, como lavar o carro com balde de água no lugar da mangueira; deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes; tomar banhos rápidos; molhar plantas com regador e não lavar o passeio com água tratada fazem muita diferença.

VER PRIMEIRO: Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.