Pai é preso suspeito de pegar R$ 1 milhão que seria para tratamento do filho com doença grave

0

Um morador de Conselheiro Lafaiete, na região central de Minas Gerais, foi preso nesta segunda-feira em Salvador, na Bahia, suspeito de gastar recursos arrecadados em campanha feita pelas redes sociais para o tratamento do filho de um ano e sete meses, que tem atrofia muscular espinhal (AME). A Polícia Civil afirma que a campanha resultou em montante próximo a R$ 1 milhão. O caso é investigado como estelionato.






A Polícia Civil, há cerca de uma semana, recebeu informações de que o pai da criança, um homem de 37 anos, estava na capital baiana “gastando o dinheiro de maneira indevida”. A corporação diz ter confirmado que o garotinho realmente tem a doença. O suspeito foi trazido a Belo Horizonte pelos policiais na noite desta segunda-feira. Ainda de acordo com a polícia, ele teria gasto cerca de R$ 600 mil em apenas um mês. Agora, o homem será levado para Conselheiro Lafaiete.

Segundo os pedidos por recursos feitos pela internet, a criança foi diagnosticada com a doença aos cinco meses de vida. A atrofia muscular espinhal é degenerativa. O tratamento é feito com o medicamento Spinraza – considerado um dos mais caros do mundo – com pelo menos seis doses por ano, inicialmente. Cada dose custa cerca de R$ 300 mil. Novas avaliações são necessárias para o volume do medicamento a ser ministrado na sequência.

Em abril deste ano, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinou portaria incluindo o Spinraza para fornecimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A expectativa, porém, é que o medicamento, que é importado, só esteja disponível na rede em outubro, conforme informado à época da assinatura da portaria, e confirmado nesta segunda pelo Ministério da Saúde.

Foto: Reprodução/Facebook

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:



(Fonte: Itatiaia/Agência Estado)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.