Home / Minas Gerais / Futuro da Casa de Juscelino será discutido nesta quarta-feira

Futuro da Casa de Juscelino será discutido nesta quarta-feira

Às voltas com problemas financeiros, a Casa de Juscelino, no Centro Histórico de Diamantina (Vale do Jequitinhonha), terá seu destino discutido em audiência pública da Comissão de Cultura nesta quarta-feira (24/4/19), às 14h30, no Auditório da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).





A reunião foi pedida pelo deputado Duarte Bechir (PSD) para discutir medidas necessárias para a continuidade das atividades do museu, instalado na casa onde o ex-presidente do Brasil Juscelino Kubitschek viveu sua infância e adolescência.

“A organização vem sofrendo há alguns anos com dificuldades financeiras e, por esse motivo, a decisão de fechá-la é um fantasma constante, uma vez que a falta de recursos para a manutenção básica, acumulando uma série de despesas dia após dia, tem provocado um déficit”, registra o parlamentar.

Na avaliação do deputado, a Casa de Juscelino sempre atuou dentro dos seus mais nobres objetivos, que é preservar e divulgar a memória e os ensinamentos de Juscelino Kubitschek, mantendo severo controle patrimonial.

“Precisamos debater a situação junto ao Estado, responsável pelo repasse financeiro para a Casa de Juscelino, a fim de que esse trabalho realizado com muita luta e dedicação, há 35 anos, continue sendo símbolo de prosperidade e crescimento humano, um verdadeiro patrimônio mundial”, defende Duarte Bechir.

Crise - Conforme relatos feitos à imprensa pelo diretor-presidente da Casa, Serafim Jardim, o museu chegou a ser fechado à visitação pública em 22 de janeiro e também a ter o nome bloqueado no Sistema Integrado de Administração Financeira de Minas Gerais (Siafi) pela Secretaria de Estado da Cultura, o que impediria que a entidade viesse a receber verbas de convênios.

Construção de mais de 150 anos feita de pau a pique, técnica construtiva típica do século XVIII, a casa abriga em seus vários cômodos biblioteca, objetos pessoais, fotos e os violões usados pelo político para participar das serestas, uma das marcas de JK, que além de presidente do Brasil entre 1956 e 1961 foi também governador de Minas e prefeito de Belo Horizonte.

Para a reunião na ALMG foram convidados, além do diretor da Casa de Juscelino, representantes da Secretaria de Estado de Cultura, da Prefeitura e da Câmara Municipal de Diamantina, entre outros.

Casa de Juscelino foi transformada em museu há 35 anos – Foto: Pollyanna Maliniak/ALMG

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: ALMG)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>