Tribunal canadense legaliza relações sexuais entre humanos e animais

0

A Suprema Corte do Canadá legalizou as relações sexuais entre humanos e animais, desde que não haja penetração. As informações são do jornal inglês The Telegraph.

A determinação resultou de um caso envolvendo um homem da província de Columbia Britânica que foi condenado por 13 acusações de abuso sexual contra suas enteadas, incluindo uma acusação de bestialidade (sexo com animais). Com a nova resolução, o homem, identificado apenas como DLW, foi absolvido da bestialidade e condenado a 16 anos de prisão pelos crimes de abuso.

Segundo seus advogados, o caso de bestialidade não poderia ser comprovado pois não era possível comprovar se houve penetração por parte de algum dos animais. Assim, ficou decidido por 7 votos a 1 que bestialidade será somente crime caso haja penetração.

De acordo com os registros do tribunal, DLW teria passado manteiga de amendoim sobre os órgãos genitais das vítimas e “oferecido” ao cachorro família para lamber enquanto o homem filmava o ato.

Representantes de organização em defesa dos animais afirmam que a decisão mudam leis ultrapassadas mas não conseguem proteger os animais: “a partir de hoje, a lei canadense permite que abusadores usem animais para sua própria satisfação sexual. Isso é completamente inaceitável, contrário às expectativas da sociedade e não pode continuar”, afirmou a diretora executiva da organização Animal Justice, Camille Labhuck.

A ONG implorou ao parlamento canadense para aprovar a modernização de leis que protejam os animais: “este projeto é muito necessário, atualiza os crimes de animais no Código Penal e fecha essa brecha perigosa para deixar bem claro que todas as formas de atividade sexual entre humanos e animais são inaceitáveis”, acrescenta Camille.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: Terra)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.