Homem que matou ex-companheira em Montes Claros manda recado para mulheres: cuidem e acarinhem mais os maridos

0

O protético Calcivo Deusdete de Freitas, de 61 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira (17/09/2018) depois de matar a ex-mulher com seis tiros em Montes Claros, no Norte de Minas. Na delegacia, ele confessou o crime e mandou um recado a todas as “esposas” para ea que elas “cuidem e acarinhem mais” os maridos. “Não estou justificando o meu crime. É injustificável”, comentou o preso, que se diz arrependido.

Ele foi autuado em flagrante por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, com o agravante de feminicídio.

O crime aconteceu na noite de domingo, na porta da casa da vítima, na rua Santa Maria, no bairro Jardim Panorama. Elaine Figueiredo Lacerda, de 61 anos, levou dois tiros na cabeça e quatro no abdômen. Câmeras de segurança da rua registram o momento em que o protético sai da casa da vítima e busca um revólver calibre 38 no porta-malas de um carro. Logo em seguida, ele retorna para a frente da casa e descarrega a arma na ex-mulher. Ela cai na calçada, quando leva os primeiros tiros, e ele dispara outras vezes e foge na sequência. O homem possui uma clínica de próteses dentárias e a vítima trabalhava com ele.

De acordo com a Polícia Militar (PM), Freitas teria ido à casa de Elaine buscar um carro que estava na residência e os dois discutiram quando o homem retirava o veículo da garagem. O protético buscou a arma no porta-malas de outro veículo estacionado na rua e a matou friamente. O casal deixou dois filhos adultos, um de 31 e outro de 33, que é dentista.

Freitas foi preso por volta das 4h desta segunda-feira em uma fazenda dele. A PM apreendeu o revólver usado no crime e uma espingarda carabina calibre 32 que ele mantinha na casa. O autor foi autuado em flagrante e encaminhado ao Presídio Regional de Montes Claros.

De acordo com a Polícia Civil, o casal estava separado e motivação do crime pode ser financeira, uma vez que o casal brigava por causa da divisão dos bens.

Ainda de acordo com a PC, o casal havia se separado pela primeira vez em 2015, quando a mulher foi à delegacia e registrou queixa de ameaça e conseguiu medida protetiva. Algum tempo depois, ela retornou à delegacia e assinou um termo de desinteresse, abrindo mão da proteção. Os dois reataram o casamento e estavam separados novamente. “Ela não estava resguardada pela medida protetiva”, informou a Polícia Civil. Na separação de 2015, a mulher também teria sido ameaçada pelo ex-marido. Na época, ele estaria armado com a espingarda que também foi apreendida.

Recado

Ao ser apresentado à imprensa na manhã desta segunda-feira, na Delegacia de Montes Claros, o protético mandou um recado para todas as mulheres. “Às vezes, as esposas são muito gentis e muito educadas, mas com o marido, que tem que ser, às vezes elas deixam muito a desejar. Isso é um recado para todas as esposas: ‘cuidar e acarinhar seu esposo e ter um bom lugar’”, disse o preso, que também afirmou ter feito tudo pela mulher, com quem viveu 35 anos.



Alerta

A delegada de Mulheres de Montes Claros, Karine Maia, fez um alerta a todas as mulheres que são vítimas de violência doméstica. “É importante que essas pessoas, que continuam sendo vítimas de violência, procurem a delegacia para reativar as medidas protetivas e para fazer novas denúncias. A polícia não tem como saber se a violência continua”, disse a delegada.

Karine informou que no caso de Elaine, ela retirou o procedimento, não quis continuar, e que ela encaminhou para o fórum o pedido de desistência dela. “Não tínhamos medida protetiva em vigor”, ressaltou.

Separação

O delegado da Homicídios, Bruno Resende, explicou que o casal, embora separado judicialmente, estava convivendo e teria histórico de ameaças pelo protético. “Inclusive, com armas de fogo, nos últimos meses. Também havia uma disputa patrimonial entre eles, pelo fato de trabalharem juntos, que não havia sido resolvida durante a separação judicial”, disse o delegado. Tudo isso, segundo ele, teria causado uma certa “animosidade” no autor.

Segundo o delegado, a mulher chegou a ser socorrida no local do crime pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu. A Polícia Civil investiga se o crime foi premeditado.

Câmera de segurança registra crime



VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: O Tempo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.