Home / Brasil / Lula quer compor chapa com mineiro

Lula quer compor chapa com mineiro

Minas foi o Estado escolhido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para sediar o lançamento nesta sexta-feira (08/06/2018), em Contagem, de sua pré-candidatura à Presidência da República. Preso em Curitiba há 60 dias, a participação do líder petista no evento se deu por meio de uma carta dirigida ao povo brasileiro. Nela, Lula reafirma que assumirá a missão de ser o candidato ao Planalto e que acredita que a Justiça Eleitoral “manterá a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir seu direito e o dos eleitores ao voto”.

Entre discursos e pronunciamentos dos principais quadros do PT no país, repercutiu no evento as supostas conversas que Lula teve com aliados sobre a escolha do vice para compor a chapa presidencial. As opções são indicativos de que o ex-ministro Jaques Wagner (BA) é o preferido de Lula para substituí-lo, caso seja mesmo impedido de concorrer.

Como Wagner tem musculatura no Nordeste, um vice da região Sudeste buscaria expandir esse eleitorado. Os nomes citados são do ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) e do empresário Josué Alencar (PR). Josué é filho do vice-presidente no governo de Lula, José de Alencar, morto em 2011. Por isso, sua indicação teria forte simbolismo. A escolha de Lacerda poderia atrair o PSB para uma aliança com o partido.

Lula também autorizou, em conversas com auxiliares, que seja costurado um pacto de não-agressão com o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, com vistas ao segundo turno. Segundo petistas, a orientação é que o pedetista seja tratado como alguém do mesmo campo político. O governador do Ceará, Camilo Santana, foi o único chefe do Executivo petista ausente no evento. Próximo de Ciro, Santana chegou a defender o pedetista como alternativa diante da prisão de Lula.

Militantes usaram máscaras durante lançamento de pré-candidatura (Foto: Divulgação)

Carta

Assim como em discursos anteriores, feitos antes de ser preso, Lula repetiu em seu manifesto as críticas ao juiz Sergio Moro e à força-tarefa da Lava Jato. O petista voltou a dizer que foi vítima de perseguição e que, até hoje, não foram apresentadas provas contra ele.

“Os que me acusaram na Lava Jato sabem que mentiram, pois nunca fui dono, nunca tive a posse, nunca passei uma noite no tal apartamento do Guarujá. Os que me condenaram, Sergio Moro e os desembargadores do TRF-4, sabem que armaram uma farsa judicial para me prender, pois demonstrei minha inocência no processo e eles não conseguiram apresentar a prova do crime de que me acusam”, diz trecho da carta.

O ex-presidente também disse que vai defender as estatais da política “entreguista” do governo federal. “A Petrobras tem de voltar a ser brasileira. Vamos acabar com essa história de vender seus ativos. Também de que impediremos a privatização da Eletrobras, do Banco do Brasil e da Caixa, o esvaziamento do BNDES”.

Pimentel

O PT aproveitou o evento desta sexta-feira para lançar também de forma oficial a candidatura à reeleição do governador Fernando Pimentel. Um vídeo sobre Minas foi exibido no ato.


‘Será uma agressão’, diz Gleisi Hoffmann

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, afirmou nesta sexta-feira que será uma agressão e uma brutalidade caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não permita a candidatura do ex-presidente Lula. A senadora concedeu entrevista antes do evento de lançamento da pré-candidatura de Lula. Ela afirmou que o partido vai registrar Lula como candidato até 15 de agosto.

“Se o TSE avaliar que não pode, será uma agressão contra o presidente pelo que representa essa sentença injusta contra ele. Mas temos recursos bem-fundamentados nas instâncias superiores de que teria que ser feita a candidatura. Nós podemos definir que ele faça a disputa sem o registro. Mas, independentemente de continuar preso, ele vai ser o nosso candidato. Não há restrição para isso”, declarou.

A presidente nacional do PT disse acreditar no resultado positivo dos recursos que pedem a liberdade de Lula ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ela garantiu ainda que não há plano B para substituir Lula na disputa. Nos bastidores, é ventilada a possibilidade de o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad concorrer à Presidência. Ele participou nesta sexta-feira do ato.


Chapa com Lacerda desagrada petistas

O deputado estadual Rogerio Correia (PT), que tem participado da construção da chapa de reeleição de Fernando Pimentel (PT), disse não acreditar no nome de Marcio Lacerda (PSB) para integrar a chapa presidencial de Lula.

“Temos que discutir as questões que estão sendo negociadas realmente, como o Josué Alencar, que é um nome que agrada o pensamento progressista e o mercado produtor, o mercado formado por trabalhadores e que cria empregos”, disse o parlamentar.

Internamente, a especulação desagradou petistas que ainda têm fresco na memória a ruptura do ex-prefeito com o PT nas eleições de 2012. Outros, no entanto, colocam Lacerda como possível nome a integrar a chapa de Pimentel na vaga de candidato ao Senado.

Os responsáveis por esse diálogo com o PSB mineiro seriam os deputados do PT Reginaldo Lopes e Odair Cunha. “É o Reginaldo construindo a ponte com Lacerda e Odair destruindo”, dise, aos risos, um interlocutor do partido.


Tucanos são alvos de crítica em evento

Os petistas que participaram nesta sexta-feira no lançamento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República não pouparam nas críticas feitas aos senadores tucanos Aécio Neves e Antonio Anastasia. Durante seu discurso, o também senador Lindbergh Farias (PT) alfinetou Aécio, que é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva e obstrução à Justiça.

“Quiseram desmoralizar a Dilma, mas eu digo: desmoralizado está é Aécio Neves”, bradou sob aplausos e gritos da militância. O senador carioca disse ainda que o povo vai fazer justiça elegendo Dilma como senadora. “O povo vai fazer justiça elegendo a Dilma para o Senado por Minas”, disse.

As críticas também atingiram o pré-candidato ao governo de Minas pelo PSDB, Antonio Anastasia. “Fernando Pimentel vai derrotar o relator cínico do golpe. Anastasia vai perder a eleição para nós”, afirmou Lindbergh, que também chamou Sergio Moro de “covarde”.

Governo ideal

Costura: O deputado Rogério Correia citou o nome da deputada federal Jô Moraes (PCdoB) como a candidata ideal para ser vice de Pimentel na próxima eleição. “A Jô formaria a nossa chapa dos sonhos para o governo. Mas ela parece ter outros planos, não quer mesmo abrir mão de uma tentativa ao Senado”, disse.

Novo rumo: Jô Moraes tentou diálogo com o PT para integrar a chapa, mas, com Dilma já sendo imposta pela direção nacional, o PCdoB tem ficado sem opções. Nas últimas semanas, a deputada se encontrou pessoalmente com Marcio Lacerda para discutir uma integração. A conversa, segundo interlocutores, avançou.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: O TEMPO / Repórteres: FRANSCINY ALVES E LUCAS RAGAZZI)

3 Comentários

  1. Essa quadrilha chamada PT, acha que esta acima da lei. O vice dele pela logica ,deveria ser o Fernando, mas o Fernando Beira Mar.

  2. Nunca vi presidiário ser presidente

    Só no Brasil mesmo. Essa quadrilha assalta o pais, destrói tudo, ainda quer voltar ao poder.
    Vitória em um cachorro e não voto em candidatos dessa quadrilha PT.
    Quem for honesto faz o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>