Home / Vale do Jequitinhonha / Acusado de ser mandante de chacina no Vale do Jequitinhonha se diz arrependido, diz polícia

Acusado de ser mandante de chacina no Vale do Jequitinhonha se diz arrependido, diz polícia

Preso em Salvador na manhã de quarta-feira, o fazendeiro Adriano Chafik Luedy, de 50 anos, condenado a 113 anos de prisão pela chacina ocorrida no Acampamento Terra Prometida, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), na Fazenda Nova Alegria, em Felisburgo, em 2004, foi apresentado nessa sexta-feira pela Polícia Civil e encaminhado ao presídio São Joaquim de Bicas 1. Ele se negou a falar com a imprensa, mas, ao delegado, se disse arrependido pelo que chamou de “incidente” que provocou cinco mortes e deixou 17 pessoas feridas.

O empresário foi preso ao sair de um flat de luxo, no Centro de Salvador, conduzindo um carro que pertence a sua mãe. Ele não ofereceu resistência. Chafik estava foragido desde 2013, quando recebeu habeas corpus e passou a mudar de endereços de maneira constante. Segundo o delegado titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Emerson Morais, encarregado de conduzir as investigações de captura, foram três meses de investigação.

Segundo o delegado o acusado é proprietário de fazendas em Itajuípe, Ilhéus e Itabuna, de vários imóveis de alto padrão, e de um shopping em Salvador, de onde passou a conduzir seus negócios. Também a frequência a praias badaladas e restaurantes requintados deixou alguns rastros que ajudaram em sua prisão.

Em depoimento ao delegado, Chafik se disse arrependido pelas vidas perdidas e atribuiu a um “incidente” as cinco mortes e 17 feridos no acampamento. Segundo o depoimento, ele se dirigiu à fazenda para tentar “um diálogo” e um de seus seguranças disparou a arma, “por acidente”, resultando em descontrole total dos demais que também passaram a atirar.

A fazenda Nova Alegria pertencia ao avô de Chafik, que viera do Líbano no início do século. Com 1.300 hectares, teve uma gleba considerada improdutiva e foi ocupada pelo MST. Segundo o delegado, Chafik alegou que os ocupantes do terreno estariam saqueando suas as terras, o que o teria motivado a procurá-los para uma “conversa”. (EG)

O fazendeiro foi apresentado nessa sexta-feira pela Polícia Civil (foto: PCMG/Divulgação)

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: Estado de Minas / Repórter: Elian Guimarães)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>