Atlético tropeça contra a Chapecoense no Independência

0

O Atlético não viveu uma noite feliz nesta quarta-feira (18/10/2017), no Independência. O Alvinegro foi dominado pela Chapecoense desde o primeiro tempo, pouco criou, viu a situação ficar pior com a expulsão de Elias e acabou derrotado por 3 a 2 em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe conheceu a primeira derrota com o técnico Oswaldo de Oliveira. Com o resultado negativo, o time fica ainda mais distante do objetivo de buscar uma vaga na Copa Libertadores do próximo ano. Os gols do Galo, que saiu na frente no placar, foram de Valdívia e Fred. Wellington Paulista, Canteros e Luiz Antônio marcaram pelo time catarinense.

O Atlético não teve bons momentos no Horto. No primeiro tempo, só uma finalização, a do gol, enquanto a Chape chutou dez vezes. No início da etapa final, Elias foi expulso e a situação ficou mais complicada. Mesmo assim, o Galo buscou o empate com Fred. Na tentativa da virada, a equipe se expôs e acabou deixando um ponto escapar em casa.

A campanha do Alvinegro como mandante segue péssima. O time só venceu quatro de 15 partidas em casa. Foram três empates e oito derrotas diante da torcida.

O Alvinegro permanece com 38 pontos, cinco a menos que o Flamengo, sétimo colocado. O Rubro-Negro joga nesta quinta-feira, em casa, contra o Bahia.

O foco do Atlético agora é o clássico contra o Cruzeiro. No próximo domingo, às 17h, no Mineirão, o Galo visita o rival no Mineirão.

Valdívia marcou um dos gols do Galo (Foto: Bruno Cantini/Atlético)

O jogo

O técnico Oswaldo de Oliveira escalou o Galo com Roger Bernardo na vaga de Adilson, poupado, e Robinho de volta. Otero foi o escolhido para ficar no banco. Já a Chape veio ao Independência com o time recheado de marcadores e pronta para aproveitar os erros do Atlético e tentar uma bola para matar o jogo. E nos primeiros minutos, a estratégia quase deu certo.

Antes da primeira volta do ponteiro, a Chape roubou a bola no meio-campo, saiu em velocidade e Luiz Antônio chutou em cima de Victor. Aos 5′, após cruzamento da direita, Wellington Paulista subiu sozinho de cabeça. A bola encobriu Victor e acertou o travessão. Mas, se esperava um erro para tentar sair na frente no placar, a equipe catarinense sofreu da própria estratégia.

Aos 9′, após lançamento na área, Douglas afastou mal. Robinho chegou antes de todo mundo e, de primeira, tocou de calcanhar para Valdívia. O ‘Poko Pika’ bateu da entrada da área e encobriu o goleiro Jandrei para marcar um belo gol: 1 a 0. Depois do gol sofrido, a Chape adiantou a marcação e o Galo começou a ter dificuldades para sair jogando. Muitas vezes a bola era recuada para Victor, que se via obrigado a dar o chutão. Em um desses lances, Arthur recebeu livre na área e foi derrubado pelo goleiro alvinegro. No entanto, o assistente assinalou impedimento equivocadamente.

A Chapecoense seguiu pressionando o Atlético, marcando forte e sem dar espaços para o time da casa sair jogando. O empate parecia ser questão de tempo. E foi. Aos 30′, após roubada de bola, Arthur achou Wellington Paulista livre. O atacante bateu no contrapé de Victor, que tentou defender com o pé, mas a bola morreu no fundo da rede: 1 a 1.

A Chape era quem mais assustava, enquanto o Atlético não conseguia se encontrar. A única finalização alvinegra no primeiro tempo foi o gol de Valdívia. O Galo começou a dar espaços exagerados, com Elias mais adiantado e apenas Roger Bernardo na marcação. E desta forma veio a virada da Chapecoense. Cazares recebeu livre dentro da área, tinha a opção do chute, mas preferiu tentar o passe para Robinho. A defesa do time catarinense cortou e o time saiu em alta velocidade para o contra-ataque mortal. Luiz Antônio arrancou pela direita e rolou no meio para Canteros, que dominou e bateu sem chances para Victor: 1 a 2. Após o gol, a torcida não perdoou e vaiou a equipe, que foi para o vestiário com o placar adverso.

Mesmo com a atuação ruim da primeira etapa, o Galo voltou o mesmo para o segundo tempo. E o que já estava ruim ficou ainda pior. Em quatro minutos, Elias levou dois amarelos e acabou expulso, prejudicando ainda mais a equipe. Ele deixou o campo hostilizado pelo torcedor. Para recompor a equipe, Oswaldo tirou Cazares para colocar Adilson. O equatoriano também foi bastante vaiado. Pouco depois, foi o amarelado Roger Bernardo que deixou o campo para a entrada de Otero. O volante teve o esforço reconhecido pelo torcedor.

Ao ver o time em apuros em campo, a torcida resolveu jogar junto. E das arquibancadas vinham o combustível para que os alvinegros buscassem o empate. E ele veio. Aos 22′, Fábio Santos cobrou escanteio, Fred subiu mais que a defesa e tocou de cabeça para igualar: 2 a 2.

O Atlético tentou, mas com um a menos estava difícil buscar a virada. E o time passou a dar espaços para a Chape, que no contra-ataque, marcou o terceiro gol. Pelo lado esquerdo, Reinaldo fez boa jogada e rolou para a marca do pênalti. Luiz Antônio, livre, finalizou sem chances para Victor: 2 a 3.

Guerreiro, o Atlético correu atrás do empate até o fim, mas esbarrou na organização defensiva da Chapecoense e amargou a oitava derrota em casa no Campeonato Brasileiro. E o primeiro revés sob o comando de Oswaldo de Oliveira.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: Super Esportes / Repórter: Túlio Kaizer)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.