O homem correu atrás de nós cheio de fogo, leia relatos de sobreviventes do ataque em creche de Janaúba

0

“Eu cheguei e encontrei ela sufucando, o fogo já estava apagado, também fiquei sufocada procurando ela, e encontrei ela no cantinho”, disse Rosângela Souza Barbosa, de 38 anos, mãe de Maria Rita Barbosa Souza, de 5 anos.

A menina é uma das sobreviventes da tragédia que matou sete crianças e uma professora de uma creche em Janaúba (MG), na quinta-feira (5/10/2017). O vigia do local, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo nos atendidos pela unidade educacional e depois nele mesmo. Ele morreu no hospital, cinco horas após cometer o crime.

A empregada doméstica Andrea Rodrigues Monção, de 33 anos, conta que o filho está na creche há seis meses. Kaio Phierre dos Santos, de 2 anos e 11 meses, estava na sala do maternal e também sobreviveu ao ataque do vigia. “Eu estava no serviço, quando me ligaram e disseram ‘corre, Andréa, que só tem menino morto no chão'”, disse a mãe de Kaio.

Ela conta que chegou no local e viu o filho sentado no chão, chorando. “Ele me abraçou e disse ‘desculpa mãe, desculpa mãe, o homem correu atrás de nós cheio de fogo’.”

Weberty Kaique dos Anjos Dias, de 3 anos, e Ítalo Raique dos Anjos Dias, de 1 ano e 11 meses, são irmãos e estavam no berçário da creche no momento do ataque. Eles foram socorridos, mas na madrugada desta sexta-feira (6) precisaram voltar ao hospital, por terem inalado fumaça tóxica. A mãe deles, Patrícia Dias de Oliveira, de 22 anos, está grávida de oito meses e conta como recebeu a notícia.

“Eu estava em casa, meu marido estava trabalhando. Cheguei e já vi meus filhos assustados. Hoje sinto um alívio no coração por eles, mas uma tristeza pelos outros pais. É uma ferida que nunca vai passar”.

Eliane Ramos Dias é mãe de Murilo, de 3 anos. Ele também está em observação por ter inalado fumaça tóxica. “Voltei com ele para o hospital porque ele estava muito sonolento e com os batimentos cardíacos baixos. Eu não sei quem tirou ele da creche, só sei que ele estava muito assustado, chorando. Foi desesperador. Mas só tenho a agradecer a Deus por ele estar, mas ao mesmo tempo muito triste pelos coleguinhas”, disse.

Damião Soares ateou fogo no corpo e abraçou crianças (Foto: Reprodução/Facebook)

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: G1 Grande Minas / Repórteres: Adriana Lisboa e Juliana Peixoto)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.