Em jogo recheado de gols, Cruzeiro e Palmeiras empatam em São Paulo

0

Os primeiros 45 minutos do Cruzeiro no Allianz Parque, nesta quarta-feira (28/06/2017), talvez tenham sido os melhores do time de Mano Menezes na temporada. Organizado, criativo e muito lúcido, abriu impressionantes 3 a 0 no placar do jogo contra o Palmeiras, válido pelas quartas de final da Copa do Brasil. Na volta para o intervalo, porém, foi justamente o contrário. Com falhas defensivas infantis, principalmente da dupla de zaga, o time assistiu o alviverde controlar as ações de ataque e empatar ainda aos 19′ da etapa final. Com o 3 a 3 no marcador, o sabor amargo de uma partida de tempos distintos, apesar da vantagem mínima, ficou para os cruzeirenses.

O jogo de volta entre Cruzeiro e Palmeiras está marcado para 26 de julho, às 21h45. Com o resultado no Allianz Parque, a Raposa pode empatar sem gols no Mineirão que estará classificada para as quartas de final da Copa do Brasil. O time que avançar encontrará nas semifinais o vencedor do confronto entre Grêmio e Atlético-PR – no primeiro duelo, o Tricolor venceu por 4 a 0. Botafogo, Santos, Flamengo e Atlético são os outros clubes que seguem no torneio.

Após o duelo em São Paulo, o Cruzeiro volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro e para o arquirrival Atlético. O clássico do próximo domingo, dia 2 de julho, válido pela 11ª rodada da competição, está marcado para as 16h, no Independência. O Palmeiras, por sua vez, recebe o vice-líder Grêmio, sábado, no Pacaembu.

Thiago Neves foi um dos jogadores mais lúcidos da equipe mineira ao longo dos 90 minutos da partida no Allianz Parque, em São Paulo (Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro)

Primeiro tempo

A rapidez marcou o início do duelo entre Palmeiras e Cruzeiro no Allianz Parque. Tão logo o árbitro Jailson Macedo Freitas apitou o início da partida, o mandante saiu em velocidade. Velho conhecido do torcedor celeste, Willian finalizou bola na rede pelo lado de fora do gol de Fábio. Organizado, atento aos desarmes e com as três linhas muito próximas, o time de Mano Menezes não demorou a responder. E já com gol. Aos 6’, Alisson partiu em velocidade, encontrou Diogo Barbosa e o lateral-esquerdo voltou a servir Thiago Neves – como no jogo contra Coritiba. Sozinho, de frente para Fernando Prass, o camisa 30 marcou seu 9º gol pelo Cruzeiro: 1 a 0.

O tento marcado nos instantes iniciais do jogo não mudou as estratégias de Palmeiras e Cruzeiro. Enquanto o time de Cuca seguiu atacando a qualquer custo e sem eficiência, a equipe de Mano se concentrava na marcação e aproveitava os espaços dados pelo alviverde para assustar. O plano funcionou. Aos 19’, surpreendentemente, a Raposa ampliou o marcador. Sobis deu excelente passe para Lucas Romero, o volante foi à linha de fundo e serviu Robinho na área. Aplicando a ‘lei do ex’, o meio-campista marcou o 100º gol de sua carreira. 2 a 0.

Absolutamente implacável, em noite quase perfeita, o Cruzeiro voltou a calar o Allianz Parque dez minutos depois. Lúcido e dono das melhores tomadas de decisões do jogo, Thiago Neves encontrou Alisson em velocidade, nas costas de Fabiano. O jovem atacante, de 24 anos, que renovou contrato com a Raposa por mais quatro temporadas nesta quarta-feira, mostrou frieza de atacante para finalizar por cima de Prass. 3 a 0. Na saída para o intervalo, clima de felicidade e certa surpresa entre os cruzeirenses. “Não esperávamos o domínio. A gente sabe a dificuldade de jogar aqui, mas sabíamos que teríamos oportunidades”, disse Robinho.

Segundo tempo

O jogo não perdeu sua característica de velocidade. Intenso atrás de diminuir o estrago, o Palmeiras voltou com o Borja na vaga de Guerra e viu funcionar uma substituição feita em função de lesão. O colombiano enfiou a bola para Dudu, que fez o pivô para Zé Robero. O experiente lateral errou o chute, mas a bola ainda sobrou para Dudu, que voltou a fazer valer a lei do ex, diminuindo o placar. 3 a 1. O gol deu ânimo ao Palmeiras, que partiu em busca do resultado.

Com organização defensiva completamente diferente da primeira etapa, sentindo falta de Lucas Romero, erros individuais da dupla de zagueiros, o Cruzeiro se mostrou entregue. Aos 15’, depois de disputa pelo alto na zaga, Dudu diminuiu ainda mais o placar. 3 a 2. No abafa, o time de Cuca conseguiu o empate quatro minutos depois, em nova oportunidade na sobra, desta vez em posição duvidosa. Willian, aquele, também fez valer a lei do ex. 3 a 3.

O empate acalmou os ânimos no Allianz Parque. Enquanto o Palmeiras diminuiu o ímpeto ofensivo, o Cruzeiro equilibrou as ações, mesmo sem mostrar qualquer poder de fogo com Ramón Ábila no comando de ataque. O argentino foi quase uma peça a menos na formação cruzeirense no período em que esteve em campo. Quando recebeu livre, aos 42’, desperdiçou chance clara. O placar final acabou com sabor amargo para os cruzeirenses que, apesar da vantagem mínima, entregaram um excelente resultado fora de casa.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: Super Esportes / Repórter: Tiago Mattar)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.