Você acredita nas mudanças climáticas? – Coluna Alexandre Sylvio

1

Alguém conhece um país chamado Kiribati? É uma nação formada por um complexo de ilhas localizadas em pleno Oceano Pacífico com uma população de 100 mil habitantes. Seria um paraíso, mas um grande problema está ocorrendo por lá: lentamente, o nível do Oceano Pacífico está aumentando e cobrindo lentamente as ilhas que compõem esta nação. Se este ritmo de elevação do oceano continuar, daqui há algumas décadas, a população deste pequeno país terá que procurar outro lugar para viver. Culpa do aquecimento global? Vamos analisar os fatos científicos e de monitoramento do planeta. Segundo a NASA, a agência espacial americana, 2016 foi o ano mais quente já registrado no planeta, considerando as medições de temperatura que tiveram inicio em 1880. O recorde anterior era de 2015 e de 2014 e 2013… Podemos afirmar, através das medições globais de temperatura, que a cada ano que passa o planeta fica mais quente. Outro ponto é a emissão de gás carbônico, o temido CO2. Este elemento típico, presente em grandes quantidades na liberação da queima de combustíveis fósseis e de áreas de queimadas é um dos gases responsáveis pela retenção de calor na superfície da terra oriundo da radiação solar e do calor produzido pelas cidades através dos veículos e fábricas, principalmente. Quanto maior o seu nível na atmosfera, mais quente fica o ambiente. Os valores globais de CO2 medidos em 2006, apontaram para níveis em torno de 380 ppm (partes por milhão). Em 2016 estes valores superaram os 402 ppm.

As áreas de banquisa (área congelada do oceano) da região do Ártico apresentaram nos últimos anos uma taxa de redução média de 13,4% ao ano, segundo a NASA e outros orgãos americanos de pesquisa. Na década de 70 esta área congelada lá no extremo norte do planeta variava entre 7 e 8 milhões de quilômetros quadrados e atingindo em 2015, uma área pouco superior a 4,5 milhões de quilômetros quadrados, uma redução bastante drástica para um tempo muito curto.

Para complementar as informações, não é apenas em Kiribati, aquele país que citamos no início do texto, que o nível do mar sobe. Segundo a Nasa Goddard Space Flight Center e a Internal Displacement Monitoring Center, que avaliam os níveis dos oceanos em todo o planeta, da década de 1990 até os dias atuais, os níveis médios dos oceanos pelo mundo subiram 8,4 centímetros. Pouco?

Temos que nos manter informado sobre o que acontece com o nosso planeta, pois os reflexos destas mudanças, mais cedo ou mais tarde, atingirão a todos nós. Fique ligado!

Quem é Alexandre Sylvio Vieira da Costa?



– Nascido na cidade de Niterói, RJ;
– Engenheiro Agrônomo Formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro;
– Mestre em Produção Vegetal pela Embrapa-Agrobiologia/Universidade Federal Rural do
Rio de Janeiro;
– Doutor em Produção Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa;
– Pós doutorado em Geociências pela Universidade Federal de Minas Gerais;
– Foi Coordenador Adjunto da Câmara Especializada de Agronomia e Coordenador da
Comissão Técnica de Meio Ambiente do CREA/Minas;
– Foi Presidente da Câmara Técnica de eventos Críticos do Comitê da Bacia
Hidrográfica do Rio Doce;
– Atualmente, professor Adjunto dos cursos de Engenharia da Universidade Federal dos
Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Campus Teófilo Otoni;

– Blog: asylvio.blogspot.com.br
– E-mail: alexandre.costa@ufvjm.edu.br

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.