Home / Leste de Minas / Levantamento mostra queda na infestação do Aedes aegypti em Governador Valadares

Levantamento mostra queda na infestação do Aedes aegypti em Governador Valadares

A Prefeitura de Governador Valadares divulgou na sexta-feira (17/3) o segundo LIRAa do ano. Desta vez, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti registrou 8,5% de infestação nos imóveis da cidade. Apesar de continuar alto, o valor representa uma pequena queda em relação ao primeiro LIRAa divulgado no início do ano, quando foi registrado 9,7%.

Para o Ministério da Saúde, o índice é considerado satisfatório quando está abaixo de 1%, é considerado de médio risco quando aponta até 3,9%. Já acima de 4% é considerado de alto risco de transmissão das doenças relacionadas ao mosquito Aedes aegypti.

Vistorias

Em uma semana, 5.569 imóveis foram vistoriados na cidade. Em pelo menos 500 casas os agentes encontraram focos do mosquito Aedes aegypti. Pela oitava vez consecutiva, as larvas dos mosquitos foram encontradas principalmente nos ralos (45,3%) e reservatórios de água no chão (29,7%); seguidos pelos pratos de vasos de plantas (13,1%), lixo (5,5%), caixas d’água (3%), pneus (2,6%) e bromélias (0,8%).

O técnico em referência em dengue na cidade, José Batista dos Anjos, aponta que apesar do índice continuar alto, alguns bairros apresentaram diminuição significativa no número de focos. A redução mais significativa foi no Bairro Santa Rita, que registrou 5,2%, contra 8,7% apresentado em janeiro.

“Em várias regiões que estava com a infestação muito alta, a gente viu que abaixou bastante, então é possível que as demais regiões também conscientizem e consigam baixar esse índice. Infelizmente observamos no laboratório durante a análise das larvas, que toda larva encontrada dentro da residência é de Aedes aegypti, então é muito importante não deixar isso acontecer”, aponta José Batista.

Ações

Segundo a Prefeitura, as ações estão sendo intensificadas com o uso do fumacê na região do Santa Helena, Altinópolis, Planalto, Mãe de Deus, Santo Antônio, Palmeiras e Vila Ozanã. Os primeiros locais a receberem o tratamento foram a região do Santa Rita, Distrito Industrial e bairros adjacentes, além das proximidades dos Hospitais Samaritano e Municipal.

Além disso, oito borrifadores estão circulando no Altinópolis e, outros seis, no Santa Helena e Querosene, com bombas costais motorizadas que bloqueiam o vetor que transmite a dengue, a chikungunya e a zika em torno dos locais com casos notificados pela Gerência de Epidemiologia do município.

Notificações de doenças

Dados do município apontam que de janeiro até o dia sete de março foram registrados 3.775 casos suspeitos de arboviroses, que são doenças como dengue, zika e chikungunya. Deste total foram 1.961 de notificações de chikungunya, 1.634 de dengue e 160 de zika.

Devido ao alto índice de notificações, foi criado o Centro de Atendimento em Arboviroses para atender casos relacionadas às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti com o objetivo de desafogar a demanda no Hospital Municipal e na UPA.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Via G1 dos Vales)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>