22 de novembro de 2017 - 20:02
Home / Saúde / Prefeitura de Ladainha decreta estado de calamidade pública por causa de surto de febre amarela

Prefeitura de Ladainha decreta estado de calamidade pública por causa de surto de febre amarela

A Prefeitura de Ladainha, na região do Vale do Mucuri, decretou estado de calamidade pública em decorrência dos casos de febre amarela na cidade. A medida foi assinada nessa segunda-feira (9/1/2017) pelo prefeito Walid Nadir Oliveira (PSDB) e entrou em vigor nesta terça-feira (10).

“Está todo mundo desesperado na cidade, sem saber o que fazer”, disse Walid Oliveira. Segundo o prefeito, o decreto de calamidade permite agilizar a adoção de medidas urgentes no município. Entre as ações planejadas pelo executivo, estão a ampliação da oferta de vacinas nas zonas rurais da cidade e o aumento das equipes de saúde do município. “Com esse decreto, nós queremos fazer tudo que for possível para prevenir os casos”, diz Oliveira.

Segundo o prefeito, Ladainha já registra dez óbitos por febre amarela que estão pendentes de confirmação por parte da Secretaria de Estado de Saúde (SES), além de outras dezenas de casos suspeitos da doença.

O prefeito afirma ainda que o surto pegou a cidade desprevenida. “Não imaginávamos que poderia ser febre amarela. Notamos que nas matas da cidade muitos macacos estavam aparecendo mortos, mas foi apenas de sábado para cá que constatamos a doença”, conta.

Moradores de Ladainha recebem vacina contra doença (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Além do reforço na vacinação, o prefeito também planeja adotar medidas para garantir o restabelecimento do estoque de medicamentos e equipamentos médicos do município para o tratamento dos doentes.

A situação de calamidade pública em Ladainha permanecerá em vigor pelos próximos 90 dias, com possibilidade de prorrogação pelo mesmo período de tempo. Com a medida, Oliveira fica “autorizado a editar medidas de urgência voltadas ao imediado restabelecimento de regularidade no atendimento aos munícipes, inclusive com solicitação junto aos governos estadual e federal com apoio logístico e material e financeiro”.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde afirma que aguarda o retorno de uma equipe técnica para divulgar informações relativas ao município.

Surto de febre amarela não é motivo para alarme, diz Pimentel

Em comunicado publicado nas redes sociais do Governo de Minas Gerais, o governador Fernando Pimentel (PT) afirmou que o surto de febre amarela nos municípios mineiros é grave, mas não é motivo de alarme.

“Não temos nenhum motivo de alarme. A situação de fato é preocupante, mas não é um risco eminente de epidemia. O que nós estamos fazendo é tomar ações preventivas nas regiões afetadas envolvendo especialmente a vacinação”, afirmou Pimentel.



Em mensagem gravada ao lado dos secretários de Estado de Saúde, Nalton Moreira, e de Governo, Odair Cunha, o Pimentel afirmou que residentes das áreas rurais das cidades afetadas e quem trafega por essas zonas devem procurar os postos de saúde para vacinação. “Quem mora em área rural já está sendo contatado pelas nossas equipes de campo. Estamos indo de casa em casa vacinar as pessoas”.

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nessa segunda-feira (9), 23 casos suspeitos de febre hemorrágica aguda estão sendo investigados no Estado. Do total, 16 já foram confirmados como febre amarela. A pasta indica que a causa de 14 óbitos também estão sendo analisadas. A SES indica que 15 municípios das regiões de Teófilo Otoni, Coronel Fabriciano, Manhumirim e Governador Valadares estão em alerta.

Pimentel afirmou também que será realizado um encontro com prefeitos dos municípios afetados para discutir a situação local e medidas para combater o surto da doença. “Estamos mobilizando também a Defesa Civil e reforçando os leitos nos hospitais para eventualidades de casos mais urgentes”, disse.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: O Tempo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>