Home / Norte de Minas / Traficante mandou matar empresário em Montes Claros, diz Polícia Civil

Traficante mandou matar empresário em Montes Claros, diz Polícia Civil

A Polícia Civil apresentou na tarde desta terça detalhes da investigação sobre a morte do empresário Fernando da Silva Mendonça, em Montes Claros, no Norte de Minas. Para a PC, a ordem para executar Fernando partiu de dentro da penitenciária de Francisco Sá e o mandante é o traficante Valdemir Tavares da Silva Filho, conhecido por Marlboro.

“As investigações apontam que o Fernando tinha dívida do tráfico com o Marlboro. O Fernando estaria ainda se envolvendo com o traficante de outra facção, rival à de Marlboro. Por se tratar de dinheiro ilícito, fica difícil de chegar até o valor devido”, explica o delegado responsável pelas investigações, Herivelton Ruas Santana.

Para a PC, estes novos detalhes incluem ainda nova linha de investigação sobre o crime, tratado até então como latrocínio, e que agora passa a ser investigado como homicídio e roubo. O delegado informou também que a investigação confirma o envolvimento da advogada Fabiane Fernandes Martins e o esposo Sandro Felipe Rodrigues.

PC apresentou autor na tarde desta terça-feira (Foto: Reprodução/MOC Alerta)

“Inclusive, a advoga Fabiane fez três visitas ao Marlboro na Penitenciária de Francisco Sá durante o mês de dezembro, sem que ela seja a advogada dele. A última visita foi registrada no dia 27, às 16h58, e o crime foi na noite do mesmo dia” afirma o delegado.

Marlboro foi levado para a delegacia de homicídio na tarde desta terça-feira onde será interrogado sobre o crime. O delegado diz também que outras pessoas sabiam sobre o planejamento do crime. “O que está se desenhando é que várias pessoas, inclusive a irmã do Marlboro, que é sogra do Fernando, tinham conhecimento de que este crime iria ocorrer. Inclusive a Fabiane tinha conhecimento e teria ajudado a arquitetar a forma com que o crime iria ocorrer. Ainda não confirmamos se a esposa da vítima sabia do crime, mas o que temos certeza é que mesmo se soubesse ela não conseguiria evitar”, afirma o delegado.

A advogada Cleane Rocha, que defende Fabiane Fernandes Martins, afirmou que as visitas feitas por sua cliente ao detento Marlboro, foram visitas profissionais, uma vez que ela possui mais de 60 processos na Justiça de Montes Claros. “A Fabiane é uma advogada muita ativa e por isso é muito odiada. Nós nos preocupamos com esta criação de provas por presunção”.

Sandro foi apresnetado na tarde desta terça-feira (Foto: Reprodução/MOC Alerta)

Apresentação de envolvido

A Polícia Civil apresentou também na tarde desta terça-feira o esposo da advogada Fabiane Fernandes, Sandro Felipe Rodrigues. Ele foi preso no início da noite desta segunda-feira (2) em Janaúba, no Norte de Minas. De acordo com a PC, durante a prisão, foram encontradas com ele duas armas; uma espingarda e uma pistola .380.

Sandro Felipe foi ouvido pelo delegado e informou que a caminhonete usada por Fernando pertencia aos dois e negou também que tivesse ido à casa de Fernando para roubá-lo. Ele contou à polícia que tinha atritos com um detento da Penitenciária de Francisco Sá, que seria o ex-namorado da advogada Fabiane.

“O Sandro afirma também que há cerca de um mês ele passou a sofrer ameaças de morte, inclusive com tentativa de homicídio. Ele desconfiou que quem passava as informações sobre os locais onde ele se encontrava era o Fernando, por isso decidiu chamar outro rapaz de Belo Horizonte para conversar com Fernando. Ele afirma que durante a conversar o Fernando se exaltou e, por isso, deu a ordem de matá-lo”, explica o delegado.

Herivelton Ruas diz que não acredita na versão apresentada por Sandro. “Com esta versão ele tenta tirar a culpa de Fabiane e também do Marlboro”.

Sandro foi apresnetado na tarde desta terça-feira (Foto: Reprodução/MOC Alerta)

Entenda o caso

O empresário Fernando da Silva Mendonça, de 24 anos, foi morto na noite do dia 27 de dezembro, no Bairro Jardim Liberdade. Uma testemunha afirmou à polícia que os criminosos invadiram o imóvel e a todo momento pediam dinheiro. Momentos depois o empresário chegou à casa em uma caminhonete e foi abordado pelos autores. Como o empresário afirmou não ter dinheiro com ele, os autores atiraram várias vezes em sua direção.

Os criminosos fugiram levando o carro da vítima. Durante buscas, a testemunha relatou que dois dos criminosos usavam capacetes durante a ação. O outro autor foi reconhecido como Sandro Felipe Rodrigues; um amigo de Fernando da Silva e que tinha costume de frequentar a casa da vítima. Diante das informações, a polícia chegou à esposa de Sandro, a advogada, que foi encaminhada à Delegacia de Plantão e em seguida ao presídio.

No telefone de Fabiane, segundo a polícia, foram encontradas mensagens em que ela afirmava que a testemunha também deveria ter sido executada. “E o neguinho cagueta, você devia ter matado o neguinho”, diz uma das mensagens.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: G1 Grande Minas / Repórter: Valdivan Veloso)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>