Home / Leste de Minas / Polícia Ambiental recolhe urubu criado por aposentada em Ipatinga

Polícia Ambiental recolhe urubu criado por aposentada em Ipatinga

A Polícia Militar de Meio Ambiente de Ipatinga cumpriu na manhã desta quinta-feira (29/12/2016) um mandado de apreensão de um urubu criado em cativeiro, sem a licença dos órgãos ambientais, em uma casa no Bairro Esperança. A Justiça da comarca de Ipatinga definiu pelo recolhimento do animal para ser readaptado ao habitat natural.

A aposentada Lúcia de Oliveira criou a ave por dois anos. Em março de 2015, ela chegou a ser detida pela polícia, após os militares receberem denúncias anônimas informando que a mulher estaria criando a ave em casa, mantendo-o preso pela perna nos fundos de um quintal. Na época do crime, um delegado de Ipatinga decidiu que até que a justiça definisse o que seria feito com a ave, Lúcia ficaria como fiel depositária, ou seja, responsável por cuidar do urubu temporariamente.

Urubu foi levado pela Polícia Militar de Meio Ambiente (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Urubu Zulu

Com apenas quatro meses que ela havia resgatado o urubu, Lúcia deu ao animal o nome de Zulu. O animal foi criado por ela e o filho, e agora a aposentada não sabe como vai fazer sem o urubu.

“Chorei demais com essa decisão da Justiça. É a mesma coisa de tirar um pedaço de mim, porque ele se tornou meu filho desde que recuperei ele do lixo. Quero ver como vai ser a reação dele, porque o Zulu só come comigo, ele não aceita ser alimentado por outra pessoa”, disse.

O tenente da Polícia de Meio Ambiente, Átila Porto, acompanhou o caso desde o início e explica que o urubu foi bem domesticado, mas tem chance de conseguir se readaptar à natureza.

“O urubu tem um grau muito grande de domesticação, mas ele é um animal silvestre e tem que ser colocado na natureza. Ela cuidou muito bem dele, e notável o carinho que o bicho tem com ela, mas não tem jeito mesmo, tem que se cumprir a determinação da Justiça, porque se não vira moda e o lugar desse tipo de animal é na natureza”, explica.

Lúcia ainda pode recorrer da decisão, caso queira o Zulu de volta. “Vou ver qual será a reação dele no zoológico, se vai ser adaptar a nova casa. Se o Zulu estiver bem, vou aceitar a decisão, se não quero ele de volta”, finalizou.

Inicialmente, Zulu será encaminhado para o zoológico da Usipa, até que o Instituto Estadual de Florestas defina o seu destino permanente.

Zulu morava com a aposentada há dois anos (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Modo de vida

Zulu é um urubu da espécie cabeça vermelha (com nome científico Cathartes aura). Ele pode atingir 76 centímetros e pesar até dois quilos. Pertence à família Cathartidae e se destaca pela coloração avermelhada da cabeça. O restante do corpo apresenta uma plumagem predominantemente preta. A envergadura chega a 180 centímetros. As asas abertas formam um “V”.

Alimenta-se de carniça que encontra rente ao solo, rodovias, áreas campestres e praianas. Tem olfato muito desenvolvido, que permite localizar pequenas carcaças a distância, quando esta planando no ar.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Fonte: G1 Vales de Minas/Patrícia Belo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>