Começa nesta terça a vacinação do rebanho mineiro contra a febre aftosa

0

Nesta terça-feira (01/11/2016), em todo o estado, tem início a segunda etapa de vacinação anual do rebanho mineiro contra a febre aftosa. Os produtores rurais terão até 30 de novembro (quarta-feira) para vacinar os bovinos e bubalinos de sua propriedade, todos com idade de zero a 24 meses. A primeira etapa de vacinação ocorreu em maio deste ano.

A vacinação é obrigatória e é a forma mais eficiente de se proteger os animais contra a doença. O produtor que não vacinar os animais estará sujeito a multa de 25 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs) por animal, o equivalente a R$ 75,27 por cabeça.

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) é o órgão responsável por orientar os produtores, supervisionar e fiscalizar a vacinação do rebanho. O Instituto estima que deverão ser vacinados nesta etapa cerca de 9,6 milhões de animais.

Para comprar a vacina o produtor deve apresentar CPF e identidade nas lojas de revenda de produtos veterinários.

Minas completou 20 anos sem registros de ocorrência de focos de aftosa (Divulgação/IMA)

Cuidados para vacinar

O diretor-geral do IMA, Marcílio de Sousa Magalhães, lembra que o produtor deve adotar alguns cuidados que são importantes para garantir a eficiência da vacina. Entre eles, Magalhães alerta para o transporte e armazenamento corretos deste produto.

“Do momento em que forem adquiridas na loja, durante o transporte e até o momento da aplicação as vacinas deverão permanecer em ambiente refrigerado. É fundamental mantê-las em geladeiras ou em caixas térmicas com muito gelo, de forma que estejam armazenadas em temperatura entre 2 e 8 graus centígrados, inclusive no momento da aplicação. Além disso, deve-se agitar o frasco da vacina antes da utilização e administrar a dose correta, que é de 5 ml. São cuidados que irão garantir a eficiência da vacinação e a imunização dos animais”, ressalta.

Comprovação no site

A legislação prevê como obrigatório que os produtores rurais comprovem a vacinação dos animais de sua propriedade junto ao IMA. Marcílio Magalhães chama a atenção dos produtores para que utilizem o site do IMA para fazer essa comprovação.

“É uma forma rápida e eficaz de comprovar a vacinação, sem a necessidade de ter que se deslocar até uma unidade do IMA. Basta que o produtor acesse o endereço www.ima.mg.gov.br, onde terá um link para o Formulário de Declaração de Vacinação, também conhecido como Carta Aviso de Vacinação, onde ele poderá fazer essa comprovação”, informa o diretor-geral.

Para fazer essa comprovação, será necessário que o produtor tenha em mãos as notas fiscais de compra da vacina, informações necessárias para se comprovar a vacinação. “O IMA oferece essa opção pelo seu site, o que é uma comodidade para os produtores. Esse link estará disponível a partir de 1º. de novembro”, informa Magalhães.

Exportações

Minas Gerais possui o segundo maior rebanho bovino do Brasil com cerca de 23,5 milhões de animais, de acordo com os registros do IMA. É o maior produtor de leite do país com 9,1 bilhões de litros/ano. De janeiro a setembro deste ano o estado exportou o equivalente a US$ 269,1 milhões em carne bovina.

Neste ano, Minas completou 20 anos sem registros de ocorrência de focos de febre aftosa. Com isso, o estado mantém o status obtido junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) de área livre de febre aftosa com vacinação, o que lhe permite exportar os produtos da bovinocultura para diversos países, inclusive conquistando novos mercados. (Agência Minas)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.